Tamanho do texto

Francês, que estreia programa na Rede Globo em outubro, é o nosso chef do mês. Há 40 anos no Brasil, ele lembra a chegada ao País, detalha sua cozinha e fala da influência e importância dos programas de gastronomia

A família Troisgros tinha um restaurante em Roanne, na França, quando Claude Troisgros decidiu se aventurar em terras brasileiras. O chef desembarcou no Rio de Janeiro na década de 1980, onde permanece até hoje, e "criou uma personalidade" na cozinha.

Leia também: "Ícone"! Sanduíche de pernil do Estadão pode virar patrimônio cultural de SP

Claude Troisgros arrow-options
Reprodução/Instagram/@c_troisgros
O chef do mês, Claude Troisgros, falou sobre o começo de sua carreira no Rio e destacou a cozinha "franco-brasileira"

No Brasil, Claude Troisgros abriu diversos restaurantes renomados, entre eles o Le Blond, o Olympe e o CT Boucherie, e revelou um conceito de "nova cozinha brasileira". Ele, que é nosso chef do mês de setembro, conta ao iG Receitas como deu os primeiros passos na cidade maravilhosa e os desafios que enfrentou.

"Quando cheguei no Brasil, encontrei uma cidade, que é o Rio de Janeiro, onde a gastronomia era muito tímida. Tinha, obviamente, uma gastronomia local, muita coisa baseada na cultura portuguesa, como os botecos", relembra.

A culinária francesa e italiana, por exemplo, não tinham se difundido tanto pelo País naquele período, e Troisgros precisou se adaptar à realidade da época para abrir seu primeiro restaurante.

"Tive bastante dificuldade de encontrar produtos adequados, produtos frescos, da estação, para poder preparar as receitas em uma cozinha de técnica francesa. Mas, na minha frente, tinha um mercado de rua, de produtos que, basicamente, eu desconhecia, que eram produtos brasileiros, como o chuchu, maxixe, quiabo, batata baroa, maracujá, goiaba, jabuticaba", diz o chef.

O francês passou, então, a incluir esses alimentos em suas receitas de "técnica francesa", e o resultado foi muito positivo. "Criei uma personalidade, um novo conceito, que é uma cozinha franco-brasileira, uma cozinha francesa, mas que usa o produto brasileiro", afirma.

"Esse foi o início do que eu chamo de uma nova cozinha brasileira, onde você foge um pouco da tradição, mas respeita um pouco essa tradição e cria em cima disso com produtos novos, com técnicas novas, com criatividade", complementa ele.

Por enquanto, apenas o Rio de Janeiro conta com empreendimentos dos Troisgros, mas ele revela que pretende expandir seus negócios em breve e abrir restaurantes em outras cidades brasileiras, principalmente em São Paulo, onde há uma "demanda muito grande".

Sucesso na TV e estreia na Globo

Claude Troisgros arrow-options
Reprodução/Instagram/@c_troisgros
Claude Troisgros e Batista são alguns dos nomes à frente do novo reality show culinário da TV Globo

Além de comandar os restaurantes, o chef é uma celebridade da televisão. Há 15, dos quase 40 anos que está no Brasil, ele participa de programas culinários no canal GNT , da Globosat , e agora será um dos comandantes do reality show " Mestre do Sabor ", da Rede Globo , que estreia em 10 de outubro às 22h30, ao lado de José Avillez, Kátia Barbosa e Leo Paixão, além de Batista, seu parceiro há décadas.

"É um reality show de culinária que tem uma pegada bastante amorosa, onde a gente já acolhe, realmente, os participantes. Acolhe, ensina, os faz crescerem, tudo isso com muita emoção, humor, sabedoria e técnica culinária", comenta Troisgros.

Ele enfatiza que esses programas são importantes para os novos talentos da gastronomia e ajudam a difundir as características das cozinhas. "Hoje em dia a gente pode dizer que influencia muita gente", pontua.

"Influencia no sentido de que a gente mostra para essas pessoas a arte de cozinhar, como a cozinha é uma paixão, como cozinhar é um ato de generosidade, que podemos comer melhor comprando os produtos melhores, conhecer um pouco mais de técnica, se divertir numa cozinha, evoluir no ato de comer, comer melhor, pensar na nossa saúde, então, todo reality show ou programas ligados à gastronomia são de uma importância extrema para um povo evoluir e melhorar seu ato de comer", acrescenta o chef francês.

O que aprender com os realities culinários

Uma coisa que a maioria dos reality shows costumam mostrar é que não é fácil seguir essa carreira, ainda mais quando se está começando, e isso é um fato destacado por Claude Troisgros.

"É uma profissão que da muita alegria, mas a tendência, principalmente no início, é desistir. Porque é uma profissão que exige bastante do cozinheiro, da pessoa, e quando eu falo exige é, tipo, muitas horas de trabalho, é um lugar quente, um lugar onde a gente fica muito em pé, onde a gente trabalha os dias que os outros se divertem", afirma ele.

"O início da profissão é bastante complexo, mas o meu conselho é não desistir, porque, com o tempo, com sabedoria e com aprendizado, é uma profissão criativa, que dá muita alegria", diz o chef de cozinha.

Além disso, ele evidencia a amizade e a união entre os chefs. "É uma grande família. Os cozinheiros são amigos, é uma alegria só. Então, meu conselho é esse: não desista, trabalhe, aprenda, leia, viaje, estude, conheça os mercados, conheça os novos restaurantes, as novas técnicas, e vai dar tudo certo", fala  Claude Troisgros .

Receita do chef

vieira com doce de leite arrow-options
Divulgação/Claude Troisgros
O chef diz que essa é uma receita ideal para comer a dois e se destaca pela mistura entre doce e salgado

E para completar, como toda reportagem do chef do mês, o iG Receitas traz o passo a passo de um prato exclusivo do profissional. O escolhido por Claude é uma vieira que mistura doce e salgado. Veja os detalhes:

    Leia tudo sobre: Receitas