Tamanho do texto

Os colaboradores do restaurante comemoraram o projeto de lei para homenagear o lanche e destacaram a importância dele para a cidade

Depois do sanduíche de bauru do Ponto Chic eternizar o legado ao se tornar patrimônio Cultural de São Paulo, os paulistas vivem a expectativa do tradicional sanduíche de pernil do Estadão seguir o mesmo caminho.

Leia também: Glitter, pão rosa e divas pop: conheça a hamburgueria "mais gay de São Paulo"

sanduíche de pernil do Estadão pode virar patrimônio cultural de SP arrow-options
Reprodução/Instagram/@barelanchesestadao
O "famoso" sanduíche de pernil de São Paulo pode se tornar patrimônio Cultural Imaterial do Estado

Tramita na Assembleia Legislativa de São Paulo o projeto de lei número 642, para tornar o sanduíche de pernil do Estadão Bar e Lanches um patrimônio Cultural Imaterial do Estado. Para destacar a importância desse feito, o iG Receitas bateu um papo com Rogério Cesar, assessor da diretoria do local.

O Estadão surgiu em 1968 – mas com outra nomenclatura. Na época, ele era localizado na Rua Xavier de Toledo, próximo à estação Anhangabaú do metrô, e por isso recebeu o nome de Toledinho.

Cesar explica que, com as obras na estação, os donos sentiram a necessidade de procurar novos lugares para continuar com a lanchonete. O ponto escolhido foi o Viaduto Nove de Julho, no centro da cidade, onde o restaurante ganhou o nome de Estadão e permanece até hoje, aberto durante as 24 horas do dia.

Por lá são comercializadas porções, saladas, omeletes, feijoadas e sanduíches, com o clássico lanche de pernil como uma das opções mais consumidas.

Leia também: Dicas e receita passo a passo para fazer o Brownie do Luiz em casa

O assessor destaca que o local recebe um público diversificado e se firmou como 'ícone da gastronomia'. "Somos conhecidos nacionalmente e acredito até que muitas pessoas de fora também conheçam. Lanche a qualquer momento, [inclusive às] madrugadas... A casa fica extremamente lotada", celebra.

Artistas como Adriane Galisteu e o cantor Gusttavo Lima são comumente vistos no Estadão, além de muitos estrangeiros. "Eles querem conhecer o famoso pernil, o famoso Estadão, então, virou esse ícone", diz ele.

O sanduíche de pernil

sanduíche de pernil do Estadão arrow-options
Reprodução/Instagram/@barelanchesestadao
O assessor Rogério Cesar pontua a qualidade do produto e os segredos para o lanche ser um dos destaques da cidade

Ainda na época de Toledinho, de acordo com Cesar, o lanche já fazia sucesso. "Formavam-se filas e iam pessoas de tudo quanto é lugar para poder experimentar o sanduíche de pernil que tinha lá", conta ele.

O assessor afirma que o diferencial para justificar o sucesso do lanche é a qualidade do alimento. "Há 40 anos a gente compra do mesmo fornecedor, ele já sabe como é que a gente precisa do pernil. A gente usa pernil fresco, não usa pernil congelado", garante.

"O segredo está nos fornos que a gente tem. São fornos combinados, que já assam direto, a gente só coloca lá, programa, e já sai feito. O segredo também está no tempero do molho", complementa Rogério Cesar.

Patrimônio Cultural Imaterial de São Paulo

Para os colaboradores do Estadão, tornar o sanduíche um patrimônio Cultural Imaterial do Estado é uma forma de reconhecer os esforços da família Zonta, os fundadores do local. "Os funcionários queriam fazer alguma coisa para homenagear os donos que, além de patrões, são pais para muita gente aqui dentro", diz o assessor.

Para realizar o objetivo, o grupo falou com várias pessoas até que a ideia chegou ao deputado Campos Machado, autor do projeto de lei . "Para a gente e para os donos, isso tem uma importância muito grande. É uma forma de homenagear, ou seja, de eternizar esse patrimônio que é hoje", declara.

Ainda não há previsão para a decisão ser divulgada pela Assembleia Legislativa de São Paulo, mas a empresa está confiante. "É bem provável que ainda esse ano a gente consiga ter esse resultado. Esperamos que seja satisfatório", afirma Cesar.

Ficou com vontade de experimentar? O Estadão disponibilizou a receita do sanduíche de pernil. Veja abaixo:

Receita de sanduíche de pernil do Estadão arrow-options
Reprodução/Instagram/@barelanchesestadao


O passo a passo não é complicado e rende 40 unidades "bem recheadas", além de permitir que as pessoas provem o clássico sanduíche do conforto de casa.

Sanduíche aclamado pelo público

Rogério Cesar enfatiza que os consumidores costumam sempre fazer elogios ao lanche. Entre os comentários mais comuns, ele destaca o "é o verdadeiro lanche de pernil" e "é o mais gostoso, mais saboroso e mais molhado".

Esse último, inclusive, é evidenciado pelo assessor por conta do modo de preparo. "Quando ele está assando, a gente umedece bem ele, não é aquela coisa ressecada", conta.

Leia também: Sequinha e crocante! Saiba como fazer batata frita sem erros e arrase na cozinha

O valor inicial do sanduíche de pernil é de R$ 18 e pode chegar à faixa dos R$ 36. O tradicional inclui o pernil e o molho, que é composto por tomate, cebola e pimentão. Há também opções com acompanhamentos, que podem ser de variados tipos de queijo como cheddar, mussarela, provolone e gorgonzola, recém-lançado pelo restaurante.

    Leia tudo sobre: receitas