Tamanho do texto

Chef fala sobre sua trajetória na gastronomia, origem nordestina e lembra a participação no "MasterChef Profissionais", além de ensinar uma receita

Todo mês, o iG Receitas prepara uma entrevista especial para você conhecer mais sobre a trajetória de um chef de cozinha. Em junho, o destaque foi Erick Jacquin relembrando a jornada na gastronomia e refletindo sobre a importância do “MasterChef” para o Brasil . Neste mês, a escolhida foi a chef Irina Cordeiro, participante da segunda edição do “MasterChef Profissionais”.

irina cordeiro arrow-options
Reprodução/Instagram
O trabalho da chef de cozinha Irina Cordeiro reflete sua origem nordestina e valoriza a biodiversidade brasileira

Com a mesa posta e um bolo quentinho, Irina Cordeiro recebeu a reportagem do iG Receitas em sua casa no centro de São Paulo. Em uma conversa leve e descontraída, a chef falou sobre carreira, participação no reality e, principalmente, afeto na hora de preparar os alimentos.

A relação de Irina com a culinária começou ainda na infância com os aprendizados ao lado da avó, que sustentou os sete filhos cozinhando. “Sempre estava junto com ela na cozinha, aprendendo e fazendo”, lembra. Apesar disso, foi só aos 18 anos que ela entendeu que a gastronomia poderia ser profissão.

Irina saiu da faculdade de Direito após dois anos de curso e partiu para um intercâmbio na Itália para estudar vinhos e se tornar sommelier. “Foi a fase decisiva”, diz. Após concluir os estudos, ela voltou para Natal, Rio Grande do Norte, sua cidade natal, e ingressou no curso de gastronomia.

Cozinhando com afeto

Logo que começou a trabalhar na área, percebeu como a cozinha profissional pode ser um ambiente hostil e machista. Aos poucos, Irina passou a assumir funções de liderança por onde passou e a “humanizar o ambiente da cozinha”, algo que ela defende muito. “As pessoas são tratadas mal e se alimentam mal, apesar de estarem fazendo uma comida maravilhosa para os outros. São horas em pé e sem afeto. É um ambiente muito hostil”, relata.

Durante toda a conversa, Irina reforçou muito a questão do afeto e do cuidado na cozinha. Cuidado não apenas na hora de preparar o prato, mas com todos os envolvidos – desde o plantio do alimento até o momento que chega à mesa. Nesse sentido, a chef afirma: “O principal ingrediente da minha comida é o afeto e isso foi uma coisa que aprendi com a minha avó”.

“Ela tinha os saberes da natureza e curava a família através dos alimentos. Tenho certeza que a cozinha tem esse poder”, fala. Ela conta que encara a comida para além da função de saciar a fome. Para a chef, os alimentos equilibram o corpo e afagam. “E o afeto entra como o maior tempero nisso. Eu não quero comer uma comida de alguém que é feita sem amor e sem carinho. Eu acho que é supérfluo demais”, defende.

Leia também: Dia do chef! Henrique Fogaça fala sobre prazeres e desafios da carreira

Participação no MasterChef

irina cordeiro arrow-options
Divulgação
Irina foi semifinalista da segunda edição do "MasterChef Profissionais", reality de culinária exibido na Band

Irina participou da segunda edição do “ MasterChef Profissionais ” e foi semifinalista da edição, conquistando o terceiro lugar no pódio. Segundo ela, o reality foi um verdadeiro divisor de águas em sua carreira. Na época, a chef tinha um restaurante e trabalhava como consultora, mas sentia sem perspectiva de evolução no Rio Grande do Norte.

Então, a chef fez um vídeo, se inscreveu e foi chamada para a primeira fase em São Paulo. Após 20 dias, passou para a segunda etapa e foi selecionada, o que aconteceu em um momento especial:  “Um dia depois do meu aniversário eles ligaram dizendo que eu tinha sido selecionada. Imagina um presente desses?”, lembra.

Irina fala que foram dois meses muito intensos de reality, mas que sua participação rendeu bons frutos. “Foi a melhor universidade que eu já tive na vida”, afirma. Para ela, o programa foi uma troca de conhecimentos entre os participantes, o que proporcionou a modernização do seu trabalho. “Eu me encontrei dentro da cozinha”.

Ela ainda traz à tona a outra face de participar de um programa como esse: “Parece que você está entre a vida e a morte, e é preciso dar o seu melhor”, diz. Apesar de toda a pressão, a chef reconhece que se saiu bem. “A minha comida é alquimista e é por isso que eu ia tão bem nas provas. Eu não tenho na minha cabeça uma receita formada para o mercado, eu pego as coisas e vou construindo aquilo na hora. A minha base de criação não são receitas, é inspiração”, revela.

No geral, Irina classifica como um momento de muita satisfação pessoal. “Consegui realizar todos os meus sonhos de uma vida em um ano”, fala. Sua participação no reality reflete positivamente até hoje. “O ponto ápice foi quando eu fui chamada para o Mesa São Paulo para dar aula. Era o sonho da minha vida. Eu disse: ‘Cheguei. Deu certo’”, revela.

Chef de cozinha, influenciadora e youtuber

irina cordeiro arrow-options
Reprodução/Instagram
Além de chef de cozinha e consultora, Irina Cordeiro é comunicadora e produz conteúdo para o Instagram e YouTube

Além do trabalho como chef de cozinha e consultora, Irina está se aventurando como influenciadora e youtuber. Ela conta que seu objetivo é mostrar para as pessoas que a comida pode ser fácil. “Me descobri como comunicadora e isso tem me satisfeito tanto, porque é um momento que, sim, estou cozinhando menos, mas estou levando mais mensagem”.

E a mensagem que a chef quer levar é a de que cozinhar pode ser rápido, fácil e prazeroso. Ela também quer ensinar as pessoas a comprar melhor os alimentos e, consequentemente, comer melhor. Além disso, Irina incentiva seus seguidores a comprar de pequenos produtores e valorizar os alimentos da estação. Em seu canal no YouTube, a profissional propõe essa reflexão e mostra formas práticas de levar isso para o dia a dia.

Irina também tem um projeto itinerante com o namorado Hugo Merchan, finalista da edição 2018 do "MasterChef", chamado “O segredo é nosso”, onde o casal viaja o Brasil e promove jantares. Os chefs preparam criam o cardápio de acordo com a região e a estação do ano, e as pessoas só ficam sabendo os pratos na hora de comer.

A ideia é apresentar novos ingredientes e desconstruir tabus. “É a ideia de pegar da horta e trazer para a realidade das pessoas, porque às vezes dentro das próprias regiões elas não conhecem os produtos disponíveis”, explica.

Leia também: Crème brûlée? Ceviche? Saiba como descomplicar receitas difíceis

Receita exclusiva de Irina Cordeiro

cuscuz de farinha de urini com tucupi acompanhado de legumes confit arrow-options
Claudia Ratti

Após a entrevista, Irina continuou a conversa sobre a sua relação com os alimentos enquanto preparou uma receita de cuscuz de farinha de uarini com tucupi e legumes confit . O prato escolhido pela chef traduz o seu posicionamento enquanto profissional: valorizar os alimentos brasileiros e a biodiversidade do país. “Hoje em dia eu só coloco o que tem Brasil no meu prato. A minha cozinha profissional é sempre brasileira, com influências do Norte e Nordeste”, explica.

Com delicadeza e afeto na hora de manusear os ingredientes, Irina preparou o prato em poucos minutos. Durante o processo, a chef reforçou a importância de explorar alimentos novos e sair do comum. Para isso, ela dá a dica de optar por feiras de rua e até mesmo buscar alguns ingredientes na internet.

ingredientes de cozinha arrow-options
Claudia Ratti
A cozinha profissional de Irina Cordeiro leva apenas alimentos brasileiros, com influência do Norte e Nordeste

Apesar do nome “difícil”, a receita de Irina Cordeiro não é nada complicada. Ficou curioso? Clique aqui e aprenda a fazer cuscuz de farinha de uarini com tucupi e legumes confit .