Tamanho do texto

Entenda o que as evidências científicas apontam sobre o uso da fritadeira elétrica e avalie se é interessante para você investir no eletrodoméstico

Runner's

A fritadeira elétrica pode ser apontada como o George Foreman Grill de 2019. Fácil e prática de usar, muita gente afirma que a air fryer é melhor do que o método convencional de fazer alguns pratos nada saudáveis (como o frango empanado e a batata frita). Tão melhor, na verdade, que você pode comer o quanto quiser das receitas feitas com ela, sem culpa. E ainda por cima não sacrifica quase nada do sabor e da textura!

Leia também: Gosta de cozinhar? Saiba 8 tipos de facas que você deve ter na cozinha

air fryer
shutterstock
Por levar menos óleo na hora de preparar os alimentos, muita gente acredita que usar a air fryer é mais saudável

Mas será que isso é realmente verdade? A seguir, veja como esse novo equipamento de cozinha funciona, e se a air fryer é melhor do que a fritura tradicional, feita ao mergulhar o alimento no óleo. E se a gente pode usá-la todos os dias, é claro.

O que todo mundo diz

Fazer alimentos na air fryer é melhor do que a fritura convencional.

Leia também: Não precisa ter medo! 7 dicas para cozinhar em segurança com a panela de pressão

As evidências científicas

air fryer
shutterstock
Estudos científicos apontam que a fritadeira elétrica é realmente a melhor opção para consumir alimentos fritos

As fritadeiras elétricas podem dar aos alimentos uma textura crocante com apenas uma fração do óleo que você precisa para fritar. Isso acontece porque o método tradicional transfere calor para a comida por meio da gordura líquida. Já a air fryer passa o calor por convecção. Ou seja, um ventilador promove a circulação rápida do ar quente ao redor dos alimentos, preparando-os.

“A circulação de ar quente por toda a superfície da comida imita o resultado da fritura, gerando uma camada crocante e dourada”, explica Alon Chen, CEO e fundador da empresa de análise de tendências Tastewise.

O mecanismo por convecção significa que as fritadeiras elétricas precisam de apenas uma colher de sopa de óleo para garantir a crocância do prato. E desde que você não use muita gordura no preparo inicial da receita, o alimento feito com a air fryer vai absorver consideravelmente menos óleo do que sua versão frita. “O método tradicional de preparo pede de várias colheres de sopa até 1/2 xícara de óleo. E mais gordura equivale a mais calorias em geral”, diz Sarah Pflugradt.

Um exemplo:

Uma coxa de frango frito contém cerca de 250 calorias e 19 gramas de gordura. Enquanto a versão na air fryer tem 135 calorias e 5g de gordura. E, embora isso não pareça muito, se você é um amante da fritura , o equipamento pode impactar em uma melhora nos riscos de obesidade ou ganho de peso ao longo do tempo.

O preparo por convecção também contribui para a diminuição das gorduras trans em um prato. Essas são gorduras processadas extremamente prejudiciais que elevam os riscos de doenças cardíacas e diabetes tipo 2. Muitos restaurantes fritam seus alimentos em óleos vegetais que contêm gordura trans, como o de soja ou canola. E reutilizar o óleo pode aumentar a pressão arterial e o colesterol, além de causar inflamações vasculares.

Há também a questão dos cancerígenos. Em comparação com a fritura tradicional, a air fryer também mostrou uma menor produção de acrilamidas, compostos prejudiciais que se formam quando os aminoácidos em carboidratos são aquecidos a temperaturas muito altas.

Contudo, quando se trata das carnes, ambos os métodos de cozimento têm o potencial de formar substâncias chamadas hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAHs) e aminas heterocíclicas (HCAs), especialmente se a carne passar muito do ponto. E os dois podem aumentar o risco de câncer, segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos.

Leia também: 6 receitas de micro-ondas que podem "salvar sua vida" na cozinha

O veredito

air fryer
shutterstock
Se você costuma fritar os alimentos, a air fryer realmente é melhor, desde que opte por óleos mais saudáveis

Alimentos preparados com a fritadeira elétrica tendem a ter menos calorias e gorduras, e podem ser melhores para a sua circunferência abdominal a longo prazo. Mas isso é apenas o começo. A air fryer pode diminuir a quantidade de gordura trans e proteger a saúde do seu coração. Além de reduzir sua exposição a compostos nocivos, como as acrilamidas, que estão ligadas ao câncer.

Isso não quer dizer que a air fryer é melhor do que qualquer outro método de cozimento. Ainda vale mais optar por frutas e legumes frescos, e proteínas magras diariamente. “Não acredito que a fritura deva ser usada todos os dias”, diz Pflugradt. “Só podemos supor que as fritadeiras elétricas são boas alternativas ao banho de óleo. A menos que mais estudos sejam feitos para provar o contrário.”

De acordo com especialistas da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, as altas temperaturas usadas pela air fryer fazem com que seja fácil queimar sua comida, o que pode expor o alimento a potenciais carcinogênicos como os HCAs e os PAHs.

Então uma fritadeira elétrica vale a pena? Depende. “Se você costuma fritar seus alimentos, a air fryer é melhor”, diz Pflugradt. Só não esqueça de usar um óleo saudável para o coração, como azeite, em vez de óleos vegetais, como soja ou canola. E tente não queimar a sua refeição!

Por outro lado, se você não é fã das frituras, talvez ter uma air fryer não faça tanta diferença. “Não há mal em se entregar às suas comidas favoritas de vez em quando”, diz Pflugradt. Em outras palavras, é bom aproveitar batatas fritas ocasionalmente quando você janta fora, desde que você tenha métodos saudáveis de cocção na rotina – como assar, cozinhar ou refogar.