Tamanho do texto

Descrito como revolucionário por ser feito de plantas e ter sabor de carne, Futuro Burger foi colocado à prova pela redação do iG; veja o que achamos

O "hambúrguer do futuro" não vem da cozinha dos Jetsons ou pelas mãos de Marty McFly. Modestamento descrito como "revolucionário", ele é feito de plantas, promete "textura e gosto de carne" e já se encontra à venda em alguns estabelecimentos brasileiros.

Leia também: Hambúrguer, pizza... 10 receitas gostosas para fazer com os amigos

Hambúrguer do Futuro
Brunno Kono/iG
Hambúrguer do futuro pronto

Agora, você pode se perguntar: por que alguém faria um hambúrguer do futuro feito com plantas e com gosto de carne se já existem tantas opções feitas de, adivinhe só, carne? 29 milhões de brasileiros que se declaram vegetarianos, de acordo com uma pesquisa realizada em 102 cidades pelo Ibope  no ano passado.

São 29 milhões, mas um deles já pode fazer muita diferença. "Por mais que represente muito pouco na hamburgueria, você perde cliente. Se tem um grupo de dez e tem um vegetariano, ele consegue mudar o local por não atendê-lo. Ele tem que ter opção. Os vegetarianos devem representar menos de 10% [da clientela], uns 8%, vale a pena? Vale porque essas pessoas tiram mais 20%, de repente", diz Marcos Lee, chef e criador da The Burger Store, espaço em São Paulo voltado para ajudar futuros e atuais hamburgueiros a criar e gerir seus locais de negócios.

Embora faça muita gente torcer o nariz, o hambúrguer do futuro, inevitavelmente, também desperta a curiosidade alheia. Lee lembra que o "WhatsApp bombou" quando eles começaram a vender, há cerca de um mês: "A galera veio procurando pela questão da novidade, querendo entender como um negócio de ervilha tem gosto de carne".

Leia também: Food truck troca o pão por pastel e oferece "pastelburguer"

Marcos comemora que a tendência alavancou as vendas do seu hambúrguer vegano "em uns 20%", este sem a pretensão de ter textura ou gosto de carne. "A maior parcela dos veganos não gosta do sabor de carne", avalia o chef, que vê no hambúrguer do futuro uma opção viável para "quem tem dó de animais", mas aprecia o gosto, para quem está em transição rumo a uma dieta sem bichos ou como alternativa para a questão da fome mundial.

Com a ajuda de Lee, preparamos dois hambúrgueres com queijo (não vegano) e levamos para a redação do iG. 12 pessoas com dietas diversas (uma é vegetariana) provaram e contam abaixo o que acharam.

Afinal, o hambúrguer do futuro tem gosto de carne mesmo?

hambúrguer do futuro
Brunno Kono/iG
Hambúrguer na embalagem, na chapa e no prato

"Saboroso de um jeito discreto, o hambúrguer funciona para aqueles simpáticos à onda vegana, mas que sentem falta da carne e de um lanche com cara de lanche tradicional. Não faz feio para os curiosos que se permitem aventuras gastronômicas."

"O sabor e a textura me surpreenderam. Se não tivesse sido avisado que era um hambúrguer feito de plantas, jamais adivinharia. Dependendo do preço, comeria novamente."

"Eu gostei e comeria em um lugar que só tivesse opções vegetarianas, mas não escolheria esse podendo comer carne. Achei que o gosto parece de hambúrguer congelado."

"O gosto me remeteu a uma coisa artificial, como hambúrguer congelado ou salgadinhos de sabor churrasco. Não é um prato que eu compraria."

"Definitivamente parece carne. Eu não sei de que tipo, mas o sabor é de carne. Me lembrou um daqueles hambúrgueres congelados, mas é mais gostoso porque é maior e mais suculento." 

"Se me dissessem que fosse carne de verdade, acho que não iria duvidar. "

"Bem gostoso. Tem uma consistência parecida com hambúrgueres de carne mais gorda. O gosto tem um quê de artificial, como se a mistura levasse um daqueles sachês de macarrão instantâneo (sabor de costela, no caso). Tem gosto de carne, sem dúvidas; se não tivesse sido avisado sobre o que era eu não suspeitaria de nada." 

"Confesso que quando peguei para comer, fiquei com receio de sentir gosto de planta, alguma coisa mais amarga. Mas me surpreendi, é bem gostoso, parece carne de verdade. Um pouco mais macia e bem saborosa."

"Achei que é uma boa opção para vegetarianos que sentem falta de comer carne. O gosto e a textura lembram carne, mas o gosto me remeteu muito a carne de soja."

"Eu gostei, mas não pagaria para comer. Acho que o hambúrguer de carne é mais saboroso."

"É bem salgado, o que diminui os outros sabores e não te deixa 'descobrir' do que ele é realmente feito. Passa longe do sabor do hambúrguer artesanal. Aliás, passa longe do sabor de qualquer coisa; tem gosto de processado. Não pagaria para comer esse lanche."

"O hambúrguer do futuro tem um gosto que lembra o de carne enlatada. Não é ruim, mas também não é uma maravilha."

Hambúrguer do futuro? Hambúrguer do presente

Como é possível ver acima, as opiniões variam. "Quem é carnívoro nunca vai achar uma opção viável. Em pouco tempo, vou chutar, uns cinco anos, os caras já estão fazendo algo com gosto e que é extremamente aceitável para o carnívoro", prevê Lee.

Leia também: Além do arroz com feijão? Receitas para variar na marmita e ainda economizar

O hambúrguer do futuro é só uma peça de uma tendência que está entrando no mercado brasileiro. O Futuro Burger, que foi o que testamos nesta matéria, já tem parcerias firmadas com casas como A Lanchonete da Cidade e Spoleto; o Behind Burger é servido em lanches da Muda, uma hamburgueria de São Paulo; e nos EUA, o Impossible Burger é o ingrediente do Impossible Whopper, versão com carne vegetal do carro-chefe do Burger King.