Tamanho do texto

Muito se escuta sobre seus benefícios: reposição hormonal, alto valor proteico e baixa quantidade de gordura. Para saber direitinho tudo sobre o grão, a nutricionista Lara Natacci conta todos os segredos do alimento

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535050258&_c_=MiGComponente_C

Originária da China e do sul do Japão, a soja ou o feijão-soja é planta cultivada e utilizada há milênios no Oriente. São conhecidas cerca de 500 variedades de feijão-soja e seu uso acha-se cada vez mais difundido em todo o mundo, na alimentação humana e de animais e também na indústria. O Brasil atualmente é um dos maiores produtores de soja do mundo.

Esse grão dá origem a mais de 50 produtos alimentares, tais como: missô, shoyu, tofu, tamari, seitan, margarina, pão, leite, etc. É um alimento rico em proteínas, gorduras, vitaminas e minerais (principalmente ferro, magnésio, cálcio, potássio e fósforo). Também é rica em vitaminas A, C, E e do complexo B, sem falar nas fibras, de extrema importância para o funcionamento adequado do intestino. Por ser pobre em carboidratos pode ser usada com mais frequência por diabéticos e por conter pouca purina é inofensiva a gotosos.

O alto teor de gorduras não saturadas faz com que seja alimento útil na prevenção e no combate ao excesso de colesterol e à arteriosclerose.
A soja deve ser incluída na alimentação não somente pelas possíveis vantagens que ela pode nos trazer, mas, principalmente, pelo fato de ser mais uma opção de alimento rico em diversos nutrientes e que contribuirá para a diversificação da alimentação diária e, do ponto de vista nutricional, para a saúde.


Por outro lado, a soja crua é rica em produtos tóxicos e fatores anti nutricionais (que dificultam a absorção de certos nutrientes), os quais, entretanto, são parcial ou totalmente destruídos pelo calor do cozimento ou na produção dos derivados. Alguns estudos relacionam os fatores anti nutricionais à vantagem de atuarem como inibidores da carcinogênese.


Vários estudos científicos e epidemiológicos comprovam a ação da soja na prevenção de doenças crônicas, como problemas no coração, alguns tipos de câncer, sintomas da menopausa, entre outros. Já foi comprovado que, nos países asiáticos, onde o consumo de grãos é bem alto, a incidência de câncer nos ovários e de doenças cardiovasculares é menor que em países do Ocidente.Além de seu alto valor nutritivo e proteico, é uma das melhores armas contra a desnutrição.


A soja possui ainda uma classe de fito-hormônios (hormônios de origem vegetal) conhecidos como isoflavonas. No entanto, a quantidade de isoflavona varia de acordo com a variedade do grão, do solo, do clima e do tipo de processamento. Especialistas dizem que a melhor maneira de aproveitar os benefícios desse fito-hormônio é combinando-a com a proteína da soja, sendo assim, melhor do que consumir cápsulas isoladas de isoflavona é consumir a própria soja.

Conheça os principais derivados da soja

- Óleo de soja: é um dos tipos de óleo mais consumido no mundo;

- Farelo de soja (resíduo proveniente da extração do óleo): pode ser utilizado como alimento para animais, visto que contém de 40 a 55 % de proteína;


- Farinha de soja: pode ser usada na indústria alimentícia para enriquecer pão, biscoito, macarrão, produtos infantis, misturas para sopas;


- Concentrados e isolados proteicos de soja: são mais caros que a farinha e sua aplicação restringem-se aos produtos onde ela não pode ser empregada;


- Proteína texturizada de soja (PTS): pode ser obtida por "extrusão" e por "fiação". No primeiro caso, a PTS apresenta teores mais baixos de proteínas sendo utilizada no preparo de hambúrgueres, bolinhos de carne e outros produtos cárneos. No segundo tipo, ela apresenta elevado teor de proteína e é utilizada na fabricação de produtos semelhantes à carne (bife), presunto, entre outros, devido à sua estrutura fibrosa mais definida;


- Extrato proteico de soja (leite de soja): é um alimento que possui a aparência muito semelhante ao leite de vaca. Pode ser encontrado na forma líquida ou em pó. Em geral, são aromatizados, mas possuem menos cálcio quando comparados ao leite de vaca;


- Queijo de soja (tofu): elaborado a partir do leite de soja apresenta cerca de 140 calorias em 100g e cerca de 12,5g de proteína;


- Missô (pasta de soja) e shoyu (molho de soja): basicamente são usados como temperos na culinária oriental;


- Soja torrada: possui a aparência de um amendoim torrado e pode ser consumida como tal.


Leia mais sobre: soja