Tamanho do texto

A frutinha roxa, mais conhecida como a pasta moída na tigela, virou moda nas academias, mas extravasou seu potencial por muitos lugares mais

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535041421&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

Tudo começou com os malhadores profissionais em academias de ginástica no Rio de Janeiro e São Paulo... Opa, não foi bem assim. O açaí se tornou mesmo uma febre em meados dos anos 90 nesse ambiente, mas esse foi apenas seu lançamento na moda entre os viciados em esporte.

A verdade, porém, é que a fruta remota há séculos antes disso, entre os indígenas da Amazônia, desde o período pré-colombiano. Muito bem guardado pela selva, o açaí ganhou fama ¿ e uma fama justificada, pois seus nutrientes superam quase todas as demais frutas em termos de trazer energia.



História
Espécie nativa da Amazônia, nascida especialmente em países como Venezuela, Colômbia, Equador e Brasil, o açaizeiro é uma árvore importantíssima para os habitantes da região desde o período pré-colombiano.

Logo descoberto como uma fruta rica e que rendia muita energia para o trabalho, o açaí permaneceu como um segredo da floresta por centenas de anos. Mas somente até a chegada dos anos 1990, quando se tornou uma febre urbana. Hoje, o açaí ultrapassou os limites da região amazônica e ganhou cultivo e manufatura em muitos estados brasileiros.

O modo de consumo já não é o tradicional, baseado na própria fruta: hoje é muito comum encontrar o açaí já processado, moído, pronto para consumir com aditivos como granola ou outras frutas, como maracujá ou morango.



Características

O açaí (ou juçara, como é conhecido em algumas regiões amazônicas) é o fruto de uma palmeira, o açaizeiro. Tendo como nome científico Euterpe oleracea, a planta pode atingir 25 metros de altura ¿ e se faz aproveitar inteirinha, com folhas e madeira que viram telhados e paredes para casas na floresta e frutos que rendem geleia, sorvete, compotas e o famoso açaí na tigela.



Nutrição
Além de ser rico em ferro, o açaí também é muito rico em fibras, sendo bastante indicado para pessoas com mau funcionamento do aparelho digestivo. Apesar do alto teor calórico (100 g de açaí representam 247 kcal), a gordura presente na fruta é, em grande parte, do tipo monoinsaturada (60%) e poliinsaturada (13%) ¿ também presentes no abacate, por exemplo.

Essas gorduras, na verdade, auxiliam na redução do colesterol ruim e melhoram o bom colesterol, contribuindo inclusive na prevenção de doenças cardiovasculares.



Como comprar
O mais comum nos grandes centros urbanos é já comprar o açaí em polpa, em porções separadas em saquinhos que dão para uma ou duas pessoas. Em fruta, só é fácil encontrá-lo no Norte e Centro-Oeste do país.



Como guardar
Comprando a polpa, é crucial mantê-la gelada, abaixo dos 18ºC, para que não perca suas características nutricionais.



Como congelar
A polpa de açaí pode e deve ser mantida em congeladores ou mesmo no freezer, para que se preservem seus nutrientes. Por volta de uma hora antes do preparo, deve-se retirar a polpa do freezer e deixar degelar à temperatura ambiente.

Para preparar o tradicional açaí na tigela, basta esperar essa polpa amolecer um pouco e, então, colocá-la (esmigalhada) no liquidificador, batendo por alguns minutos. Pode-se adicionar xarope de guaraná ao açaí moído, para ganhar mais sabor.



Dicas de mestre

- Costuma-se dizer que vinho tinto faz bem ao coração ¿ e isso se deve em parte a antocioanina, nutriente da uva também presente no açaí. Poderoso corante natural, a antocioanina dá a cor roxa a ambas as frutas, mas no açaí ele é 33 vezes mais concentrada;



- Na região Norte, pedir açaí na tigela é quase uma ofensa. Lá eles consideram essa transformação um desperdício ¿ e preferem consumir a fruta ao natural os apenas fazendo um suco;



- Para consumir açaí pagando menos, tudo depende da época. Na safra, uma saca dele na Amazônia custa em torno de R$ 12,00. Na entressafra, o preço da mesma quantidade pode atingir R$ 60,00.


Leia mais sobre: açaí

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.