Três pratos e a bebida certa para acompanhar

Costelinha de porco, lombo, namorado. Nós damos a receita e o especialista em vinhos diz se vai bem com tinto ou branco

Larissa Drumond, iG São Paulo |

Divulgação
As coisas não são muito objetivas quando o assunto é harmonização de vinhos e pratos estrelados por carnes brancas e vermelhas. Carne de porco com molho de tangerina: tinto ou branco? Depende. Estamos falando de que corte? Vinhos brancos costumam fazer bom papel, mas, se a receita for de uma gordurosa costelinha, é melhor convocar um tinto bem estruturado.

Na tentativa de desdobrar as regras básicas de harmonização, aquelas que nos ensinam nos primeiros goles (peixes com brancos e carnes vermelhas com tintos), separamos três receitas cheias de interferências – no bom sentido – e pedimos ao especialista em vinhos Marcelo Copello que nos ajudasse a escolher tintos ou brancos, a preços variados, para cada uma delas. Copello comanda a escola Mar de Vinho, no Rio de Janeiro. Seus comentários estão a seguir.

Clique no nome dos pratos para ver as receitas

Namorado com escarola e pimentão
Esse prato pede um vinho branco, como o chardonnay, que combina com a escarola por causa da acidez e do toque amanteigado. Outro tipo de vinho branco que cairia muito bem, principalmente por causa da presença do pimentão, é um bom riesling australiano, bastante encorpado e com alto teor de acidez.

Se a opção for o chardonnay, existem marcas sul-americanas mais acessíveis na faixa entre 20 e 30 reais. No caso do riesling, desembolsa-se algo em torno de 80 a 350 reais. Com peixes, o vinho espumante, servido muito fresco, é um coringa que não deve ser esquecido. Rótulos brasileiros costumam ser boas escolhas em termos de preço e qualidade.

Costelinhas de porco ao molho de tangerina
Apenas o tinto é capaz de comportar o caráter agridoce do molho de tangerina. O amarone, vinho seco italiano com muita estrutura e alto teor alcoólico, pode combinar muito bem devido à gordura da costelinha de porco. Não são baratos, custam a partir de 150 reais nas prateleiras do Brasil.

Já o espumante não é encorpado o suficiente para aguentar tanta gordura e apresentaria aspereza com as costelinhas. Por isso, deve ser deixado para pratos mais leves e sem natureza agridoce.

Filé de lombo com palmito
Se o lombo for bovino, o vinho deve ser tinto. E é difícil achar algum que não combine. Os carbernet sauvignon, em especial os chilenos, são uma boa saída para quase todos os bolsos. Há opções adequadas a partir dos 20 reais.

Parênteses: se quiser substituir a carne vermelha por lombo de porco, Copello acrescenta algumas gotas a mais de informação. Ele ensina que, de modo geral, nada melhor do que vinho branco para a carne de porco – exceto no caso da nossa amiga costelinha, muito gordurosa. No caso do lombo, pode ser um riesling com barrica, caracterizado por um aroma abaunilhado e tostado, ou um sauvignon blanc, que, com aroma típico de aspargos, acompanha bem o palmito. Espumante com mais estrutura ou tintos da uva malbec não muito encorpados, para não ofuscar, também são boas opções".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG