Tamanho do texto

Além dos pratos pelos quais se tornaram famosos, muitos restaurantes têm receitas gostosas pouco conhecidas. Descobrimos algumas

Todo restaurante tem sua especialidade. Ou, quando não é assim, aquele prato que virou cartão de visitas da casa e criou fama mundo afora. São estrelas absolutas do cardápio. Para não ter erro, comensais de todo canto procuram por esses pratos quando visitam determinados locais. O que muita gente não sabe é que alguns desses lugares escondem verdadeiras jóias entre as ofertas da cozinha. São delícias que, ofuscadas pelo brilho do carro-chefe, costumam passar despercebidas.

Clientes mais atentos já perceberam, por exemplo, que o Jardim di Napoli -- também conhecido como "a casa do polpetone" -- serve ótimas pizzas. De sabores tradicionais, as redondas têm massa leve, de espessura média, e primam pela qualidade do recheio. O segredo? Primeiro, o molho de tomate. O ingrediente, que ajudou a fazer a fama das almôndegas grandonas, é suculento, consistente, com acidez quase zero. Some produtos sempre frescos que atendem ao padrão do restaurante, dê um crédito ao talento para massas típico das boas casas italianas e, bingo!, você pode estar diante de uma das pizzas mais gostosas de São Paulo -- o que não é pouco.

Quem não estiver convencido, pode correr para a pizzaria Camelo , também em São Paulo. Não deixe pedir uma bela... porção de quibe cru ! Pode parecer estranho, mas acontece que a conhecida rede começou como restaurante árabe (daí o nome e o logotipo que nada remetem a mamas e papas) e, quando virou a mesa, optou por continuar oferecendo quibes crus e fritos no cardápio. Assim, encontrou um meio de conservar os antigos frequentadores, enquanto engrossava a nova cartela de clientes.

Mas claro que não é preciso enfrentar o animado (e barulhento) público de pizzaria para saborear as delicinhas do Oriente Médio, há lugares próprios para isso. É o caso do Falafa Bar & Deli , especializado em falafel (bolinhos fritos de grão de bico e fava) e pratos de origem árabe. O que ninguém imagina é que lá esconde-se uma das porções de fritas mais saborosas do país . "Ela é nosso xodó", conta Amnon Armoni, um dos sócios. Macias e ao mesmo tempo crocantes, as batatas são tão sequinhas que é difícil acreditar que sejam acrescidas de gordura . Por outro lado, são boas demais para terem sido assadas em forno e ainda vêm com maionese, alho e ervas. Uma boa pedida para os que amam petiscos gostosos.

A batata fria do bar de especialidades árabes Falafa: crocante, macia, sequinha
Edu Cesar/Foto Arena
A batata fria do bar de especialidades árabes Falafa: crocante, macia, sequinha

Sim, porque estes, geralmente, preferem fazer o passeio até a Freguesia do Ó, na Zona Norte da cidade, para garantir o fim de semana regado à cerveja e coxinha. No Frangó , os salgados criaram fama, assim como o suculento galeto assado e tudo o que se refere à ave que batiza o restaurante. Mas a bruschetta com abobrinha, queijo e azeite... Essa pouca gente conhece. Há outras opções gostosas como as de berinjela, tomate ou quatro queijos. "Todos espetaculares", afirma o especialista em louras geladas e habitué da casa André Clemente. O bar do restaurante, famoso por sua extensa carta de cervejas do mundo todo, também surpreende os tradicionalistas: " a caipirinha deles, feita com Steinhaeger, é excelente ", revela Clemente.

Este tipo de coisa, você deve estar pensando, só acontece mesmo em São Paulo. E, de fato, a enorme oferta de restaurantes na cidade abre mais possibilidades nesse sentido. Isso sem falar na concorrência acirrada, que faz com que as casas se diversifiquem e reinventem o tempo todo. Mas tem um japa lá pras bandas de cima, em Recife, com uma surpresa e tanto no cardápio : é o Quina do Futuro, de André Saburó.

A história por trás disso, aliás, é bem bonita. O avô de Saburó veio para o Brasil tentar a vida e seu primeiro trabalho foi como vendedor de pastéis no porto de Recife. O negócio foi tomando corpo e ele abriu o restaurante de cozinha tradicional japonesa que, hoje, é o mais respeitado da cidade. Entre missôs, guiozas, sushis e sashimis o pastel do senhor Saburó está lá: de carne, queijo e até cogumelos .

Se explorarmos um pouco mais essa linha de frituras que fazem bem para a alma, vamos inevitavelmente cair no Rio de Janeiro . E lá no Aconchego Carioca e seus bolinhos de feijoada que fazem sucesso no mundo todo . Vá lá e não deixe de pedi-los, mas preste atenção na costeleta de porco com molho agridoce e pimenta rosa, um tesouro descoberto pelo chef francês radicado na cidade, Claude Troisgros.

Taí. Para os que andam enjoados dos pratos de sempre, mas adoram frequentar lugares em que são tratados pelo nome e onde não precisam explicar que preferem a bebida com muito ou pouco gelo, aí estão seis bons exemplos de que é possível redescobrir seu restaurante predileto. Encontre o tesouro escondido no cardápio de cada um deles e bom apetite :)

Serviço

Aconchego Carioca

Rua Barão de Iguatemi, 388, Praça da Bandeira, Rio de Janeiro, RJ.
Tel. (21) 2273-1035

Camelo
Rua Pamplona, 1873, Jardins, São Paulo, SP.
Tel. (11) 3887-8764

Falafa Bar & Deli
Rua Padre João Manuel, 730, Jardins, São Paulo, SP.
Tel. (11) 3062-7882

Frangó
Largo da Matriz Nossa Senhora do Ó, 168, Freguesia do Ó, São Paulo, SP.
Tel. (11) 3932-4818

Jardim di Napoli
Dr. Martinico Prado 463, Higienópolis, São Paulo, SP.
Tel. (11) 3666-3022

Quina do Futuro
Rua Xavier Marques, 134, Aflitos, Recife, PE.
Tel. (81) 3241-9589

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.