Tamanho do texto

Visitamos cinco casas da programação paulista. Confira o resultado e duas receitas que valem ser reproduzidas

A São Paulo Restaurant Week sempre causa alarde. A oportunidade de conhecer novos restaurantes movimenta gente ávida por boa comida que, muitas vezes, não consegue pagar os preços praticados pelas casas participantes. Em algumas situações, o resultado decepciona. O serviço nem sempre é atento, as filas gigantes e, não raro, os pratos são feitos com pouco capricho ou ingredientes de segunda linha.

Nossa reportagem testou cinco restaurantes desta edição. Com exceção do Arturito, que já no primeiro dia não aceitava mais reservas e deixou claro não adianta aparecer por lá porque não vai abrir espera, o saldo foi positivo. A boa notícia é que os restaurantes que não se enquadram na proposta do evento costumam encerrar a participação ali mesmo. “Em todas as edições, eliminamos 15 a 20% dos participantes”, afirma Emerson Silveira, um dos organizadores do evento. Quem quiser conferir a programação, a São Paulo Restaurant Week acontece até o dia 3 de abril. Confira o roteiro completo aqui.

Bacalhau a la Lyonnaise está no cardápio da Restaurant Week no Marcel
Divulgação/Carol Peres
Bacalhau a la Lyonnaise está no cardápio da Restaurant Week no Marcel

Marcel
O restaurante não aceita reservas para o almoço durante a Restaurant Week. Chegamos lá pouco antes das 14 horas e ainda não havia espera. Os simpáticos garçons logo nos levaram à mesa e entregaram o cardápio completo da casa, com o menu especial anexado. Os pratos escolhidos chegaram à mesa em sequência, mas sem excessiva pressa ou atropelos. Naquele horário, todas as mesas ocupadas haviam optado pelas receitas do evento. O bacalhau escolhido como prato principal – considerado, por nós, o melhor da temporada -- foi uma grata surpresa. Servido em lascas, o produto era de boa qualidade, com carne macia, desmanchando no garfo. Dessalgado na medida, o peixe veio acompanhado de batatinhas e rodelas de cebola roxa ( confira receita abaixo ).

Limonn
Chegamos com 15 minutos de atraso, mas não tivemos problemas. Apesar de uma pequena fila começando na porta, nossa reserva foi mantida. A diferença do cardápio da Restaurant Week e o executivo da casa é apenas a quantidade de opções – são três contra sete e economia de R$ 4,10 na semana promocional. Ali, não se economiza (bons) ingredientes. Entrada e sobremesa eram diminutas, os pratos, em compensação, bem fartos. Destaque para os anéis de lula em ponto exemplar, que chegou à mesa acompanhado de risoto (um pouco cozido demais) de açafrão e aspargos. O garçom confirmou nossa desconfiança: o público não varia com o evento. Talvez esse seja o motivo do serviço simpático e eficiente.

Tartare de manga: uma das sobremesas servidas no Dui durante o evento
Divulgação/Rafael Wainberg
Tartare de manga: uma das sobremesas servidas no Dui durante o evento

Dui
O atendimento, durante a Restaurant Week, não admite reservas. Chegamos às 12h30 a espera já estava formada. Depois de 35 minutos, fomos levados à mesa. A disputada área de espera começava a ficar pequena para os clientes que não paravam de chegar. Já na mesa, recebemos somente o cardápio da RW, apesar de o menu tradicional da casa também estar disponível. O serviço foi confuso. Os garçons perguntavam, seguidas vezes, para os clientes em qual etapa da refeição estavam, e conferiam o pedido. Apesar dos tropeços e de alguma demora entre um prato e outro, a refeição estava bastante saborosa. Destaques para o peixe fresquinho e a sobremesa de manga com hortelã ( confira a receita abaixo ).

Félix Bistrot
Do simpático manobrista ao funcionário que nos recebeu na entrada, fomos muito bem atendidos. A reserva foi feita no próprio dia, sem qualquer impedimento. As opções da Restaurant Week estão impressas nas últimas páginas do cardápio usual, como se fizessem parte do menu. Apesar dos ingredientes de qualidade, os pratos revelaram deslizes de execução. A massa com frutos do mar, por exemplo, estava mais cozida que o ideal. O almoço executivo da casa tem valor idêntico ao do evento.

L’Amitié
Em tempos de Restaurant Week, a casa não aceita reservas. Mas chegamos às 13 horas e fomos prontamente atendidos. O serviço foi ligeiro – o intervalo entre retirar a entrada e servir o prato principal foi de exatos 3 minutos. O contra filé ao poivre oferecido não veio alto ou suculento, mas bem executado, saboroso e com ponto correto. A sobremesa demorou um pouco mais para chegar, mesmo assim às 13h35 a conta já havia sido paga.

Fique esperto:
- Bobagem pedir couvert, a comida costuma chegar bem depressa à mesa.
- Itens como couvert, café e bebidas podem encarecer significativamente a conta.
- Não é todo restaurante que aceita reservas, mas convém tentar.
- Chegue cedo. Depois das 13 horas o movimento costuma aumentar.
- O menu executivo de algumas casas tem preços similares aos da Restaurant Week. Nesse caso, visitá-las em dias comuns certamente será mais proveitoso.
- Não espere uma refeição memorável. Como o preço é baixo, a casa precisa girar rápido. Se não for frenético, o ritmo das refeições é, no mínimo, mais acelerado do que o normal.

Bacalhau à la Lyonnaise

Receita do chef Raphael Durand Despirite, do restaurante Marcel, em São Paulo
Rendimento: 4 porções

Ingredientes
600g de bacalhau desalgado
500g de batatas tipo bolinha
3 cebolas roxas médias
6 colheres (sopa) de azeite
Salsa picada
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo
Doure levemente a posta de bacalhau e leve ao forno a 180 graus, por 9 minutos, com 3 colheres de azeite. Quando estiver cozido desmanche em lascas. Em seguida, cozinhe as batatas com casca por aproximadamente 20 minutos e depois corte pela metade.

Em uma frigideira grande, coloque as cebolas com o restante do azeite e, sem deixar dourar, junte as batatas e as lascas de bacalhau. Refogue por 3 minutos. Coloque a salsinha, verifique o sal e acrescente a pimenta-do-reino a gosto.

Tartare de manga com creme de coco
Receita da chef Bel Coelho, do restaurante Dui, em São Paulo

Ingredientes
Para o creme de coco:
250ml de leite
250ml de leite de coco
100g de açúcar
40g de manteiga
3 ovos
40g de amido de milho

Para o tartare de manga:
2 mangas Tommy cortadas em cubos
2 colheres (sopa) de hortelã fresca picada em pedaços bem pequenos

Modo de preparo
Para o creme de coco:
Leve o leite, o leite de coco, metade do açúcar e metade da manteiga ao fogo até ferver. Misture o resto do açúcar, o amido de milho e os ovos até obter uma mistura homogênea e macia.

Coloque uma concha do leite de coco fervido na mistura de ovos e, em seguida, una as duas misturas completamente e leve ao fogo mexendo constantemente até ferver e engrossar. Deixe o creme esfriar e sirva sobre o tartare.

Para o tartare:
Misture a hortelã com as mangas cortadas em cubos pequenos.

Montagem
Em uma taça, coloque no fundo três dedos do tartare de manga e complete com o creme de coco.

Serviço
Dui
Alameda Franca, 1590, Jardim Paulista, São Paulo, tel. (11) 2649-7952

Marcel
Rua Da Consolação, 3555, Jardim Paulista, São Paulo, tel. (11) 3064-3089

Félix Bistrot
R. José Félix de Oliveira, 555, Granja Viana, Cotia, tel. (11) 4702-3555

L'Amitié
R. Manuel Guedes, 233, Itaim Bibi, São Paulo, tel. (11) 3078-5919

Limonn
R. Manuel Guedes, 545, Itaim Bibi, São Paulo, tel. (11) 2533-7710

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.