Tamanho do texto

Sim, ele pode lhe dar um bronzeado natural e sem contra-indicações. Mas essa vitamina rende outros benefícios também

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535044233&_c_=MiGComponente_C

Verão 2009

Já faz algum tempo que ficar com um tom de pele com aspecto saudável deixou de ser sinônimo de bronzeado apanhado com horas e horas de sol. Aliás, desde que inúmeras pesquisas começaram a mostrar os efeitos nocivos do sol em excesso ¿ como aparecimento de manchas, sardas e até mesmo câncer ¿ pegar um bronze virou motivo de atenção. Para ganhar dos dois lados dessa moeda (ficando com a pele bonita e dando atenção à saúde), entraram em cena os filtros solares e também uma substância essencial: o betacaroteno.



Ele já é conhecido de muita gente. No organismo, esse componente (chamado de pró-vitamina ou precursor de vitamina) tem um papel mais importante do que apenas atuar no tom da pele. Ele ajuda na prevenção de muitas doenças. Antioxidante, o betacaroteno neutraliza radicais livres e, por isso, previne o envelhecimento, além de trazer benefícios à visão (principalmente a visão noturna), aumentar a imunidade contra doenças.



No caso específico da pele, ele é quem dá elasticidade à ela, brilho aos cabelos e fortalece as unhas. Quando transformado em vitamina A no organismo, o betacaroteno atua auxiliando a formação da melanina, o pigmento presente na pele e responsável por protegê-la de raios nocivos e dar cor de bronzeado.



Muitas fontes de betacaroteno são grandes conhecidas de quem preza a alimentação saudável: cenoura, abóbora, beterraba, mamão e manga contêm boas quantidades da substância. Em quantidades menores, é encontrado em vegetais como couve, repolho, espinafre, agrião e brócolis.



E vale lembrar que o suco de cenoura, beterraba ou outro desses legumes oferece mais betacaroteno do que o alimento cru ¿ pois quando comemos uma cenoura, por exemplo, muito do betacaroteno é eliminado do organismo junto com as fibras, mas no suco a fibra fica separada e sobram nutrientes para serem absorvidos pelo organismo.



Na busca pelas benesses do betacaroteno, existe até uma novidade. A chlorella é uma alga de água doce vista agora por pesquisadores como uma das maiores fontes naturais desse componente ¿ além de outros 20 tipos de vitaminas e minerais. O betacaroteno presente na chlorella atua como em outros alimentos, fortalecendo o sistema imunológico e protegendo a pele contra a radiação solar, diz o nutricionista George Guimarães. A alga já começa a ser vendida no Brasil em tabletes ou líquido, o que facilita a ingestão do betacaroteno para quem não consome tantos alimentos in natura.



Consumir grandes quantidades de betacaroteno não é perigoso à saúde, pois a única contra-indicação, uma coloração amarelada na pele, desaparece com a redução de uso da substância. Já a carência da pró-vitamina, essa pode deixar a pele seca ou descamando, causar deficiências na visão e xeroftalmia, o ressecamento da córnea. Investir no betacaroteno, assim, rende bem mais do que um bonito bronzeado.


Leia mais sobre: betacaroteno

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.