Tamanho do texto

Bar de São Paulo faz intercâmbio de ingredientes e cria variações do clássico carioca com lombo de porco, picanha e cordeiro

Filé à moda Cosmopolita: o Oswaldo Aranha servido no São Cristóvão é campeão de pedidos
Divulgação
Filé à moda Cosmopolita: o Oswaldo Aranha servido no São Cristóvão é campeão de pedidos

“Criado no Cosmopolita, restaurante carioca predileto de Donga, Pixinguinha e Madame Satã, em pleno coração da Lapa, desde 1926 até hoje agrada a paladares o imenso filé coberto com alho dourado e servido com arroz, farofa e batata portuguesa”.

Não poderia ser mais fiel a descrição acima, feita pelo jornalista e escritor Caloca Fernandes a respeito do tradicional filé Oswaldo Aranha. O registro está em seu livro, Viagem Gastronômica Através do Brasil (editora Senac). A origem da receita é parte da história da política nacional. Na então capital federativa, Rio de Janeiro, o gaúcho Oswaldo Aranha, diplomata, estadista e grande aliado de Getúlio Vargas, não abria mão do prato sempre que visitava o restaurante - apelidado de Senadinho pela alta frequência de membros do senado.

Com o tempo, o prato, considerado "coisa de gênio" pelo jornalista e poeta Odylo Costa Filho (1914-1979), cruzou fronteiras. Em São Paulo, no bar São Cristóvão, da Vila Madalena, é um dos pratos principais. Celebradíssimas pelos frequentadores da casa, são vendidas cerca de 600 porções da receita por mês. E de tão querido pela clientela, o prato acabou virando tema de festival. O Festival Oswaldo Aranha, que neste ano está na terceira edição e vai até o dia 28 de agosto, consiste em uma temporada que contempla releituras da receita tradicional, feitas pela chef Julia Guimarães. Lombo de porco, carré de cordeiro e picanha vão para o prato. Confira as receitas.

Receita: lombo de porco à moda Oswaldo Aranha
O lombo de porco "dormido" no limão por 24 horas fica ainda mais macio. A farofa de milho é feita com calabresa na manteiga, e empresta um sabor defumado ao prato. Acompanham batatas refogadas no alho. Servida com pimenta biquinho, a receita lembra muito a comidinha da roça. Daí o nome fantasia que levou para o cardápio: OswaRdo Aranha.

O lombo de porco
Divulgação
O lombo de porco "dormido" no limão fica ainda mais macio. Jeito de comida caipira


Picanha à moda Oswaldo Aranha
O alho é servido na farofa. E o filé dá lugar ao corte de picanha, tenro e suculento. Tudo escoltado por maionese caseira com legumes - levemente ácida, acompanha perfeitamente a carne. Para equilibrar, uma porção de arroz branco fresquinho.

Nessa variação do Oswaldo Aranha, no lugar do filé, entra a picanha. E o alho é incorporado à farofa
Divulgação
Nessa variação do Oswaldo Aranha, no lugar do filé, entra a picanha. E o alho é incorporado à farofa

Carré de cordeiro à moda Oswaldo Aranha
É servido com arroz com brócolis. O sabor acentuado da carne, bem mais forte que o do tradicional filé bovino, é coroado pelas as batatas refogadas no alho. A farofa é enriquecida com bacon, que dá um aroma defumado ao prato.

Carré de cordeiro: sabor mais acentuado, junto com arroz de brócolis e batatas ao alho
Divulgação
Carré de cordeiro: sabor mais acentuado, junto com arroz de brócolis e batatas ao alho

Serviço

Bar São Cristóvão
Rua Aspicuelta, 533. Vila Madalena, São Paulo
(011) 3097-9904