Tamanho do texto

Sotheby’s leiloa relíquias comestíveis e evidencia: a comida está na moda. Quanto mais naturais forem os ingredientes, melhor

Tomates orgânicos: produtos de origem altamente controlada serão leiloados em setembro pela Sotheby
Getty Images
Tomates orgânicos: produtos de origem altamente controlada serão leiloados em setembro pela Sotheby

Até a diretora internacional de marketing da Sotheby’s estranhou quando propuseram realizar ali o primeiro leilão de “edible heirlooms” (algo como relíquias ou heranças comestíveis). Acostumada a vender de casas de luxo a picassos, Amy Todd Middleton recebeu intrigada a proposta de Brent Ridge, da fazenda Beekman 1802, de Nova York. Acabou aceitando, maravilhada, quando entendeu que “a preservação de variedades heirloom de vegetais é uma verdadeira forma de arte”.

Batizado de The Art of Farming , o primeiro leilão do tipo de que se tem notícia acontecerá no dia 23 de setembro em Nova York. De fato, a produção e a certificação de heirlooms são duas coisas bem complexas, sobretudo em um país onde a agricultura é altamente industrializada, como nos Estados Unidos. Para receber esse título, um vegetal tem de crescer a partir de sementes cuja procedência pode ser rastreada até a origem daquela variedade em particular, sem nunca terem sido geneticamente modificadas ou sequer terem sofrido cruzamentos. Na prática, costumam ser sementes passadas de geração a geração de famílias de pequenos agricultores. Quem viaja aos Estados Unidos provavelmente já viu o termo, sobretudo associado a tomates ou feijões, em supermercados orgânicos e feiras de alimentos. É, digamos assim, a tendência do natural/orgânico levada realmente a sério. “Coisa de americano”, o leitor possivelmente dirá, é essa mania de colocar grife em tudo.

Um pouco, é isso mesmo. Outro tanto é uma evolução do conceito de “comer local”, de valorizar ingredientes não modificados... Aberto para chefs, fazendeiros, especialistas da indústria alimentar e foodies em geral, o leilão, beneficente, venderá heirlooms de mais de 40 fazendas e levantará verbas para o GrowNYC Farmer Developmen Project e o The Sylvia Center at Katchkie Farm, duas iniciativas no sentido de fazer com que os novaiorquinos comam alimentos mais frescos.

Por 250 dólares (os convites estão à venda no site do evento), os participantes têm acesso a um coquetel de boas vindas, feito, claro, com produtos naturais. Por 1.000 dólares, ganham cadeira no jantar com quatro pratos de degustação que será servido depois do leilão, elaborado por celebrity chefs como Jeff Gimmel, do Swoon Kitchenbar in Hudson, Jean-Georges Vongerichten, do Jean Georges, Maximo Lopez, chef executivo do Andaz Hotel, e Dominique Ancel, chef pâtissier do Daniel. O menu será elaborado com ingredientes sazonais frescos como os do leilão, doados pelos mercados orgânicos locais.
Cada mesa terá como anfitrião um fazendeiro. Outras celebridades da alta gastronomia americana fazem parte também do conselho curador do evento, entre eles Martha Stewart, a ex-diretora da Gourmet Ruth Reichl e o chef Dan Barber.

Além de ser um leilão, The Art of Farming é também o evento de abertura da semana Eat Drink Local de Nova York, a celebração anual da comida local, organizada pelas revistas Edible e pela GrowNYC, uma espécie de Restaurant Week de quem trabalha com orgânicos, que vai de 26 de setembro a 6 de outubro de 2010.

Serviço
The Art of Farming, leilão de relíquias comestíveis da Sotheby's

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.