Tamanho do texto

Nessa semana, Marcia Gombos fala sobre o tempo que cada um precisa para aprender a saborear e apreciar um bom vinho

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535082027&_c_=MiGComponente_C

Quando falamos sobre vinho, na verdade sobre qualquer coisa na vida, precisamos levar em consideração o fator tempo . Isso se aplica não somente a condições climáticas ou um período em que o vinho permaneceu no decanter ou na taça, se aplica sobretudo a nós. O que quero dizer é que nós precisamos respeitar o nosso momento certo para cada vinho.

Tempo é necessário

Todos já ouviram falar de grandes ícones como Chateau Petrus, Chateau Margaux, Romannée-Conti, entre outros que pertencem a essa linhagem de raridades e de preços exorbitantes. Eles são considerados como verdadeiras pérolas da enologia (ontem, hoje e sempre), mas será que o nosso paladar está pronto para esse estilo de vinho?

Vivemos num país sem tradição vinícola e que, graças à globalização do mercado, vem evoluindo e se acostumando aos poucos ao consumo de vinhos finos. O paladar do brasileiro pede vinhos mais fáceis, mais prontos, mais jovens como os produzidos no Brasil, no Chile e na Argentina, que tem excelentes opções de preços.

Não quero dizer que os vinhos legendários são inacessíveis, mas que é necessário muita desenvoltura, muito conhecimento e um paladar bem apurado para conseguir apreciar tais vinhos em seu máximo, sem se frustrar.

Com o passar do tempo o paladar se transforma, cresce, melhora e vinhos mais estruturados e complexos ganham maior interesse . É chegado o momento de dar mais um passo, subir mais um degrau, conhecer os italianos e se deliciar com os franceses mais modestos.

Deixe Bordeaux e Bourgogne para depois, quando a sua maturidade gustativa estiver completa. Garanto que esse será um momento sublime, sem preciosismos, pois quando conhecemos a história de um vinho, quando preparamos a atmosfera perfeita , a música e o cenário ideal, a experiência se tornará uma viagem a outro planeta e o tempo nos mostrará que a espera valeu.

DICAS
Espumante Salton Demi-Sec (Brasil); Catena Zapata Malbec (Argentina); Undurraga Pinot Noir (Chile)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.