Tamanho do texto

Em vídeo, três chefs ensinam a preparar receitas inspiradas no paladar da cantora. Veja o infográfico

No conjunto, o cardápio apresentado acima é uma declaração de brasilidade, vibrante e colorida como Carmen Miranda (1909-1955). E não poderia ser diferente tendo no comando das panelas três grandes chefs de cozinha entusiastas da culinária nacional. O menu criado por Ana Luiza Trajano, Mara Salles e Bel Coelho privilegia ingredientes caros ao paladar da cantora – morta há 55 anos.

Com base em pesquisas, o iG Comida fez o mis en place , sugerindo o palmito para a entrada, o chuchu com camarão para o prato principal e as frutas tropicais para compor a sobremesa. Nossas convidadas trataram de traduzi-los à la Carmen , em receitas descomplicadas, mas cheias de encantamento.

“O chuchu e o palmito são produtos neutros, praticamente desprovidos de sabor”, explica a experiente Mara Salles. Segundo ela, eles são valorosos na cozinha porque funcionam quase como “esponjas”, já que assimilam bem o sabor de seus acompanhamentos sem jamais ofuscá-los. “Eles são como os atores e as atrizes coadjuvantes num filme: cumprem função complementar para abrilhantar o artista principal”.

Tão animada que ficou com a experiência, Mara manda avisar que sua versão do ensopadinho de chuchu com camarão estará no cardápio de seu restaurante Tordesilhas, em São Paulo, nos almoços do mês de agosto. No dia em que testou a receita para esta reportagem, a chef colocou o prato como opção no cardápio. “Foi um sucesso e a ‘culpa’ é da Carmen”, diverte-se a chef.

Carmen boa de garfo
No auge de sua carreira, Carmen Miranda encarou longas temporadas de shows nos Estados Unidos e chegou a emendar até sete apresentações em um só dia. Nessas ocasiões, só lá pelas quatro horas da manhã, depois de conceder autógrafos e se despir de figurino e maquiagem, ela conseguia sentar-se para o jantar. “Costumava comer um bife com nove centímetros de altura”, registrou Ruy Castro em Carmen: Uma Biografia (Editora Companhia das Letras, 2005).

O livro segue elencando outras predileções culinárias da cantora: feijoada, arroz de forno, rabada, carne de porco, farinha, asinhas de frango e cozidos. Durante anos, seu café da manhã incluiu ovo quente, presunto, café com leite, grapefruit e maçã.

Estrela da Fox na década de 1940, ela não se intimidava nos almoços com a turma do estúdio. Sem cerimônia, devorava “uma salada de camarão, um descomunal bife, cinco acompanhamentos diferentes e duas sobremesas”. A imprensa hollywoodiana até dedicou colunas ao seu suposto apetite de lobo. Por outro lado, a diva do show biz vivia brigando com a balança “porque tinha tendência a engordar”. Por isso, também se sujeitava a dietas fortíssimas às vésperas de compromissos importantes.

No capítulo das bebidas, Carmen foi abstêmia. Mas só até conhecer o alexander's, um drinque adocicado pelo qual se apaixonou logo no primeiro gole, oferecido por seu marido David Sebastian. Não demorou para que aprendesse a prepará-lo com desenvoltura: conhaque, licor de cacau, creme de leite, gelo, nozes e chocolate picados. Aos poucos, ciente de que o coquetel era altamente calórico, passou a substituí-lo por uísque escocês. No início, prefiria misturar gelo e soda ao destilado. Depois, dispensou a soda e, finalmente, o gelo.


Serviço:
Brasil a Gosto . Rua Professor Azevedo do Amaral, 70, Jardim Paulista, São Paulo, (11) 3086-3565
Dui . Alameda Franca, 1590, Jardim Paulista, São Paulo, (11) 2649-7952
Tordesilhas . Rua Bela Cintra, 465, Bela Vista, São Paulo , (11) 3107-7444

Pesquisa e texto: Marcela Besson. Com reportagem de Heloísa Ferreira. Captação e edição de imanges: Daniel Melo e Kauê Agostinho. Design: Marcos Veiga. Programação: Celina Uemura. Fotos: David Santos Junior e Tricia Viera/Fotoarena.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.