Tamanho do texto

Ao longo do ano, as aulas ensinam a acertar o ponto do risoto, da carne, da massa. Currículos mais específicos repassam os pratos típicos de uma cozinha, como a italiana. E há lugares que oferecem programação para as crianças

De um lado, chefs profissionais dividem o tempo entre o restaurante e a escola; grandes cozinheiras compartilham o conhecimento e confeiteiros promovem oficinas para entreter crianças. Na outra ponta, homens, mulheres, meninos e meninas estão a fim de aprender a cozinhar. Essas pessoas se encontram nos cursos livres de gastronomia que ocorrem ao longo do ano e oferecem uma programação voltada para quem já tem afinidade com a cozinha e também para os principiantes.

Cursos ensinam a cozinhar
Divulgação
Cursos ensinam a cozinhar



Confira nesta lista algumas opções.

Veja também: bons cursos para quem deseja ser cozinheiro profissional

Belo Horizonte

Cida Gomes Atelier Culinário

A ex-gerente de banco Cida Gomes tinha o costume de cozinhar para a família e para os amigos. Depois de estudar Gastronomia, pensou em abrir um restaurante, mas acabou montando o Cida Gomes Atelier Culinário em 2003.

A escola oferece uma grande variedade de cursos: do básico ao avançado e com módulos de cozinha internacional. Os mais concorridos são o trivial básico e intermediário. Mas aulas de risoto, massas, pizza e lanches também fazem sucesso entre os alunos. Os cursos duram de uma a oito semanas e os estudantes aprendem a preparar até vinte receitas, depende do tema. Com a administração de Vera Miranda, a escola tem entre seus professores a própria Cida Gomes e o chef de cozinha Paul Nielsen. Formado pelo Senac-BH, Nielsen teve uma passada pelo italiano Vecchio Sogno , onde trabalhou com o renomado chef Ivo Faria.



Brasília

Chef Catarina Melo


Com o apoio de uma assistente, a chef brasiliense Catarina Melo é professora de todos os vinte cursos oferecidos na escola que leva seu nome. O local existe desde 2004. No começo, Catarina pretendia ensinar amigas que queriam se aventurar na cozinha. Meses depois, introduziu no currículo aulas mais elaboradas. A de risotos foi a primeira e é a mais procurada até hoje.

A duração média é de três horas, conforme a especialidade. Os módulos são independentes entre si e, no fim, os participantes recebem um certificado de conclusão. Catarina Melo é formada em Gastronomia pelo Senac de Águas de São Pedro, no interior de São Paulo.



Recife

Oficina de Chefs


A Oficina dos Chefs, fechada em 2008, foi reaberta em julho de 2009. Fica no bairro de Boa Viagem, no Recife. Agora em seu comando está o respeitado cozinheiro César Santos, proprietário e chef do agradável e premiado Oficina do Sabor. O restaurante, que funciona num casarão antigo na cidade histórica de Olinda, é famoso pelos jerimuns recheados de frutos do mar ¿ entre outras estrelas do cardápio.

Na Oficina de Chefs - a escola - as classes são conduzidas por cozinheiros experientes como o próprio Santos e seus colegas André Falcão, Lícia Maranhão e Elvira Dias. Profissionais de todo o País são convidados para ministrar oficinas com extensão máxima de três horas. Os alunos recebem certificado e uma apostila com todas as receitas ensinadas. Os pratos são preparados e saboreados em aula. Os temas mais procurados são saladas, massas e jantar italiano.



Rio de Janeiro

Escola As Marias


Maria Emilia Carneiro de Carvalho, Maria Tereza Bossart, Maria Lúcia, Maria Margarida, Maria Estela e Maria da Graça. Em meados de 1979, as Marias que dão nome à escola fundaram um curso de gastronomia inovador para a época. A novidade era uma técnica de congelamento trazida da Suíça.

Quando Maria Emilia morreu, outra Maria (chef e professora de culinária há 16 anos), a Tereza Loureiro da Silva Martins, comprou o estabelecimento. Os cursos funcionam de segunda a sábado e, às vezes, aos domingos, com duração variada. Culinária básica, cardápio completo e congelamento são as mais buscadas.



São Paulo


A Nossa Cozinha


A escola tem diversos cursos para quem gosta de comer e de cozinhar. A proprietária Ciça Ribeiro diz que o público é bem variado e as aulas mais procuradas são aquelas para iniciantes. Em oito dias, o aluno aprende a fazer desde um arrozinho branco até um souflé. Outro módulo bastante popular ensina a fazer pratos mais elaborados para impressionar os amigos.

Atelier Gourmand

Nos Jardins, o local oferece aulas temáticas ministradas por chefs profissionais. É possível aprender a cozinhar pratos franceses, indianos, mediterrâneos e orientais. Cada um tem sua pequena cozinha. Os cursos mais procurados são os de carnes e risotos. Cada um conta com apenas 12 vagas e é essencial agendar com três dias de antecedência. A duração é de pouco mais de algumas horas.

Escola Wilma Kövesi de Cozinha

Tradicional, o local existe há quase trinta anos. Na fundação, Wilma Kövesi pretendia ensinar pessoas próximas que iriam casar. Hoje, oferece cursos para um público bem mais variado, de crianças até quem quer ser profissional. Quem administra a escola hoje é Betty Kövesi Mathias, com o auxílio de profissionais da área nas aulas, como a confeiteira Carole Crema e os chefs Gabriela Martinoli e Carlos Siffert.
Há aulas únicas de temas específicos, como sobremesas, pratos franceses e italianos, em que o aluno aprende a fazer pelo menos cinco receitas. 

Studio do Sabor

Monica Sky, proprietária do espaço, brinca que seus clientes vão desde empregadas domésticas a patroas, recém-casados e curiosos. Muitos em busca de aprender a dominar o fogão e fugir do macarrão instantâneo. Em cinco dias, o aluno estuda como fazer saladas, carnes e sobremesas.

Segundo Monica, o módulo mais procurado nas férias é para as crianças. A mães deixam os pequenos, a partir de 6 anos, por lá durante três horas e eles preparam ¿ e devoram em seguida ¿ minipizzas, empadinhas, wraps, pavê e brownies.



Em várias cidades

Senac

Além da graduação em gastronomia, o centro oferece mais de 80 cursos livres na área, abertos a qualquer um e que não exigem conhecimento prévio.

Juliana Trombeta Reis, coordenadora de desenvolvimento de cursos de bebidas, serviços e gestão de gastronomia, explica que o público é composto por quem tem afinidade pelo assunto ou busca uma ascensão dentro da área.

Entre os mais procurados está o de chef de bar, que aprimora a elaboração de coquetéis. Há ainda opções de aulas de gestão também, em que o aluno tem noções de planejamento e administração de um estabelecimento. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.