Tamanho do texto

Coquetéis de outros tempos para brindar em qualquer época. Confira receitas

Meia de Seda: famoso entre jovens na década de 80, ainda está nos cardápios
Divulgação
Meia de Seda: famoso entre jovens na década de 80, ainda está nos cardápios
Nos auge dos anos 80, a conversa nas festas era animada por Cuba Libre e Gin Tônica. Durante o happy hour pós-faculdade, Meia de Seda e Lagoa Azul flanavam pelas mãos dos estudantes. "Bons tempos", dirão os saudosistas. Os atuais não ficam atrás. Essas bebidas estão em muitos cardápios, e acompanham a noite com sabor de lembrança (e de novidade, para alguns) com o charme extra de ser demodé.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

“Os jovens de hoje recorrerem muito ao energético misturado à vodca ou com uísque. Tudo bem, são opções práticas. Mas, por outro lado, é sinal de que há muito drinque mal feito por aí.", afirma Rui Serradas, consultor de alimentos e bebidas, no ramo há mais de vinte anos. Nesse caso, os antiguinhos podem ser a salvação. “Coquetéis como o Alexander têm receitas catalogadas internacionalmente", diz. Assim, mesmo que ganhem versões modernas, a base do sucesso está garantida.

PARA ACOMPANHAR: PRATOS RETRÔ

Enquanto alguns clássicos são presença garantida em qualquer carta, dividindo espaço com novidades e invenções exóticas , certas receitas resistem ao tempo – mas nunca por períodos muito longos . “O Meia de Seda é um exemplo de drinque revitalizado, que voltou a ser procurado por jovens”, diz Márcio Silva, mixologista dos bares Astor e Pirajá . “Os drinques são como pratos: precisam de renovação, as pessoas se cansam deles. O Cuba Libre é um que recuperou sua popularidade”, diz Júlio Formiga, barman do paulistano Jordão , casa que ainda oferece o super retrô Lagoa Azul. “Mulheres entre 25 e 30 anos adoram.”

PARA FINALIZAR: SOBREMESAS RETRÔ

Atemporais, o Bloody Mary e o Coquetel de Frutas são sucessos oitentistas festejados até hoje, e que permitem variações na receita. “O Bloody Mary tradicional é temperado somente com suco de limão siciliano, pitadas de sal, pimenta do reino, molho inglês e molho de pimenta. Mas pode ser personalizado com flor de sal e vinho Jerez, para equilibrar a acidez”, explica Márcio.

Há quem seja fã de carteirinha e quem torça o nariz para os drinques, mas como bem resume Serradas: “de um coquetel benfeito todo mundo gosta”. Confira as receitas selecionadas pelo iG Comida para os embalos de sexta, de sábado e de todas as noites.

RECEITAS

LAGOA AZUL

BLOODY MARY

ALEXANDER

MEIA DE SEDA

PIÑA COLADA

LEIA MAIS: DRINQUES ITALIANÍSSIMOS

E AINDA: ESPUMANTE: COMO ABRIR A GARRAFA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.