Tamanho do texto

Tida com a vilã do bom colesterol, a carne vermelha pode não ser o bicho-papão no qual muitos acreditam

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535038561&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

Quem quer cortar calorias e viver de modo mais saudável precisa passar fora com a carne de boi. Esse era, e ainda é, um mito muito comum entre aqueles que vão encarar uma dieta. Mas a verdade difere um pouco disso: a carne bovina, hoje, já é em média 20% mais magra que há 15 anos atrás segundo dados do Departamento de Agricultura Norte-americano.

Entre 19 cortes de carne bovina considerados magros, 12 têm apenas um grama de gordura a mais do que uma porção de frango sem pele ¿ só que, em contrapartida, tem também mais vitaminas. Se a ideia, então, é se alimentar melhor, antes é bom esclarecer alguns pontos em defesa do bom e velho bife. Vamos às questões mais frequentes, respondidas pela endocrinologista Vera Lúcia Merten, de São Paulo.

1. A carne de frango é mais saudável que a carne bovina?
Com relação aos teores de gordura e colesterol, a carne bovina magra de hoje em dia é tão saudável quanto a carne branca de frango sem pele. No entanto, os demais cortes de frango possuem teores mais elevados desses componentes. Aliás, a carne vermelha apresenta concentrações similares até a algumas espécies de peixe (como salmão e truta) e inferior ao de alguns crustáceos, como lagosta e camarão.

2. O consumo de muita carne vermelha aumenta o risco de doenças cardiovasculares?
Isso pode acontecer quando a ingestão de cortes mais gordos, como a picanha, é excessiva, já que eles são ricos em gorduras saturadas e colesterol. Mas se o consumo ocorrer de maneira moderada e de modo equilibrado com os demais tipos de alimentos, a coisa muda de figura. O mais crítico para a saúde humana não é o efeito isolado de cada alimento, mas sim a associação dele com outros fatores, como a falta de exercícios.

3. Faz mal comer carne vermelha todo dia?
Sim, pois o ideal é saber dosar, escolher o melhor corte da carne e inserir o alimento em uma dieta saudável, rica em frutas, vegetais, cereais e variar com outros tipos de proteínas, como peixe e frango. E a regra é optar por partes magras, como filé mignon, coxão duro e coxão mole e alcatra.

4. A carne moída é mais saudável do que em filé?
Tudo dependerá do corte que foi usado e do teor de gordura nele, e não do formato em que a carne é consumida.

5. Carne vermelha é mais difícil de digerir?
Na verdade, cerca de 97% da carne bovina é digerível, contra apenas 89% da farinha de trigo e 65% da maioria das hortaliças. Não se deve confundir fazer ou não a digestão com o tempo que o alimento permanece no estômago. A carne de fato fica mais tempo no estômago, mas o único efeito disso é que a sensação de saciedade, assim, é maior.

6. Os hormônios de crescimento e antibióticos para o gado são nocivos à saúde?
De acordo com a legislação brasileira, não é permitido o uso de hormônios de crescimento em bois e vacas. Isso acontece com carnes importadas, já que em outros países a prática é permitida, como nos Estados Unidos. No caso dos antibióticos, pesquisas mostram que eles aqueles testados e aprovados não trazem malefícios. Mas, na verdade, os antibióticos são liberados apenas para tratamento de doenças que já tenham atacado os animais ¿ e, nesse caso, os pecuaristas precisam respeitar um período de carência até o abate.


Leia mais sobre: carne bovina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.