Tamanho do texto

Fora com os excessos. Aprenda a usar os alimentos para desintoxicar o organismo e, assim, potencializar a saúde

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535057399&_c_=MiGComponente_C

Começo de ano é assim: as festas trazem consigo presentes desagradáveis como ressaca, quilos extras, dificuldade de digestão e uma tremenda fadiga.Tudo isso tem conserto apenas se acertando com a alimentação. Especialistas em nutrição garantem que, fazendo uso dos produtos corretos, é possível desintoxicar o corpo e colocá-lo de novo em um rumo saudável.



Essa alimentação desintoxicante não serve exatamente para suprir toda a quantidade de calorias diárias, mas sim de facilitar a saída das toxinas (os excessos) que foram se acumulando. O consumo exagerado de açúcar refinado e alimentos industrializados, por exemplo, são muito comuns nos festejos de fim de ano. Segundo nutricionistas, é essa carga extra de aditivos (que têm a função de para aumentar a durabilidade e aparência dos produtos), que acabam agredindo o organismo.



Alguns contêm muito quantidade de agrotóxicos, outros apenas substâncias não recomendáveis, como gordura. E na hora de limpar o corpo, tudo isso deve ser substituído por alimentos que façam a faxina. Para começar, é hora de mandar ver em muita água e bebidas comprovadamente desintoxicantes como o chá verde ¿ líquidos que, além de eliminar os excessos, ajudam na hidratação e reposição das células do organismo e regulam a temperatura corporal.



Dentre as frutas, o limão é uma das mais recomendadas. Em sucos ou para temperar uma salada, ele se porta como um adstringente e um agente antibiótico natural. Ingerir um limão por dia já pode prevenir algumas doenças e auxiliar o metabolismo, tamanho seu poder, afirma Conceição Trucom, química por formação e defensora de uma dieta desintoxicante regular (ela mantém um site apenas com dicas sobre o assunto, o Doce Limão ).



Folhas verdes, claro, são muito recomendadas (mas é importante preferir as orgânicas, livres de defensivos agrícolas). Junto com elas, saladas que contam com brotos, como de feijão ou de bambu, são ótima pedida. E dentre os legumes, berinjela, abobrinha, pepino, beterraba e cenoura são os melhores (cheios de fibras, que carregam consigo, para fora do organismo, resíduos de substâncias intoxicantes).



Mas fazer uso de todos esses alimentos e elaborar um cardápio praticamente vegetariano pode não ser garantia de desintoxicação. O vegetarianismo pode ser uma grande fachada para péssimos hábitos alimentares, lembra Conceição Trucom. Não adianta apostar nos vegetais e somar a isso um monte de açúcar, farinha refinada, pães integrais em excesso, frituras, café. Existem muitas pessoas não vegetarianas com hábitos muito mais conscientes e saudáveis.


Além disso, é palavra de ordem fazer uso de diversas sementes e cereais. Linhaça, gergelim, girassol e tantos outros, hoje encontrados em todo supermercado, são perfeitos para compor a dieta de limpeza do corpo.



Quanto mais todos esses alimentos forem usados crus, melhor. Transformá-los em sucos centrifugados, por exemplo, é ótima ideia ¿ lembrando que é importante beber imediatamente o preparado, para que as propriedades sejam mantidas. E, claro, não se deve adicionar qualquer tipo de açúcar. Quem quer desintoxicar, precisa se controlar.


Leia mais sobre: desintoxicação

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.