Tamanho do texto

Você realmente sabe o que come? Camuflados em tentadores alimentos ou escondidos por nomes populares em rótulos, sua comida pode conter coisas que só de pensar, causa rebuliços no estômago

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535047486&_c_=MiGComponente_C

Alguma vez na vida, todo mundo já escutou pelo menos alguma afirmação sem sentido algum sobre comida. Muitas avós até hoje dizem para seus netinhos não tomar leite com manga, pois, passarão mal e podem morrer.


É verdade, devido à diferença cultural, que a culinária tem lá suas esquisitices, mas os tabus que rondam alguns alimentos são considerados verdades por muita gente.


Reunimos algumas lendas gastronômicas e pedimos ajuda à nutricionista holística Alice Cazarini Thomé, que também já ministrou aulas sobre o tema. Mas, avisamos: o churrasquinho grego, comida típica do centro da cidade de São Paulo, continua sem resposta!



Roquefort é queijo embolorado? Verdade!
 Roquefort é o nome de uma variedade de queijo, originalmente francês, produzido com leite de ovelhas. Na sua fabricação são injetados fungos (bolores) na massa, neste caso os do tipo Penicillium, que passa, a seguir, por um processo de maturação de três meses. São estes fungos que desenvolvem no queijo a aparência característica com veios verde-azulados, que lhe dão o sabor especial e não causam nenhum mal à saúde.

Corante é feito com insetos? Mentira.

Um e-mail circula por aí, afirmando que corantes são feitos a partir de um inseto originário do México, a Cochonilha ou Dactylopius coccus. Esses corantes, se você procurar no rótulo das embalagens, vai encontrar com os nomes de "Vermelho 4", "Vermelho 3", "Carmim", "Cochineal", "Corante natural carmim de Cochonilha", "Corante C.I", "Corante ou Colorizante E120" e todos são sinônimos de Corante de Cochonilha.


A Cochonilha é uma praga que dá em plantas e forma uma espécie de farinha nas folhas contaminadas. São besouros minúsculos (2 a 5 milímetros de comprimento) que formam colônias nas folhas, raízes e frutos das plantas; sugando a seiva, inoculando toxinas e provocando manchas, definhamento e morte da mesma. É criado em todo o mundo, inclusive no Brasil.



O que quase ninguém sabe é que, supostamente, bilhões desses insetos são criados e esmagados para fazer corante vermelho utilizado em sobremesas, bebidas, roupas, chás, etc. O uso de cochonilha viria desde o descobrimento das Américas (era utilizado pelos astecas) e sua comercialização teria aumentado, após a descoberta que corantes artificiais mais baratos causavam câncer.



Isso é alegado no e-mail. No entanto, de acordo com Alice, o homem utiliza as cores há mais de 20 mil anos. O vermelho das capas dos centuriões romanos era obtido de um molusco chamado Murex, um caramujo marinho. Talvez disso venha essa crença, mas hoje em dia os corantes podem ser naturais (como de plantas, por exemplo) ou sintéticos, afirma.



Salsicha é feita com sobra de várias carnes? Verdade.
Quem é que nunca escutou essa, hein? A salsicha é um produto cárneo industrializado, obtido da emulsão de carne de uma ou mais espécies de animais de açougue, adicionado de ingredientes, embutido em envoltório natural ou artificial, ou por processo de extrusão e submetido a um processo térmico adequado. 

Traduzindo: na fábrica, quilos e quilos de carne (pode ser de boi, frango, coelho, porco, cordeiro) que não servem para mais nada são juntados e misturados até formar uma pasta. Essa pasta recebe uma capinha e fica naquele formato, após alguns processos, para que a devoremos felizes em forma de hot dog duplo, vendido em carrinhos que ficam nas portas de baladas.

Mortadela é feita com carne de cavalo? Mentira.
Ela é conhecida de todos e odiada por muitos. Para muita gente é sinônimo de falta de sofisticação e, para outros, é simplesmente deliciosa. Que o diga o famoso sanduíche da citada, do Mercado Municipal em São Paulo.


Os boatos dão conta de que a mortadela é feita de carne de cavalo, e de restos de animais que não são aproveitados pelos frigoríficos. Na verdade, o embutido é fabricado com carne (magra) de porco com sobras cruas de presunto e de copa. Depois, o alimento recebe uma camada de gordura extraída da papada do porco. Durante o processo de fabricação, a carne é cortada em pedaços e triturada várias vezes, até que se tenha uma pasta cremosa. Então a massa recebe os pequenos cubos de gordura e, por fim, levada ao forno, onde é cozida a vapor, esclarece a nutricionista.



Gelatina é feita com tutano de boi? Verdade.
Quem tem boa memória vai se lembrar do Bocão, famoso personagem de uma marca de gelatina; para as crianças ele era ídolo. Quem poderia pensar que essa coisinha gostosa, colorida e gelada fosse feito com pele de porco?

Segundo Alice, em geral, a gelatina é fabricada a partir de matérias-primas que contêm alto teor de colágeno, como pele suína, pele bovina e ossos de bovinos. Estes materiais são retirados exclusivamente de animais aprovados para o consumo humano por autoridades veterinárias e depois passam por várias etapas para sua fabricação.

E se você achou que tinha motivos para abandonar essa guloseima, fique por dentro do outro lado. A gelatina é composta de colágeno, importante componente em ossos, cartilagens e articulações. Ao consumi-la, você reforça a nutrição desses tecidos e pode até prevenir doenças como artrite e osteoporose. Além do mais, sua pele, suas unhas e seus cabelos ficam muito mais bonitos.

De qualquer maneira, independentemente de ser verdade ou mito, o principal é a higiene dos alimentos. Mas olha lá, hein? Nem por isso você precisa comer pombos, ratos e gafanhotos.


Leia mais sobre: alimentação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.