Tamanho do texto

Duas colheres de sopa de cacau por dia podem ser o novo vinho. Veja a opinião de especialistas

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535099286&_c_=MiGComponente_C

Uma pequisa publicada na edição de novembro do The American Journal of Clinical Nutrition informa que a dupla leite desnatado e chocolate em pó sem açúcar ajuda a combater e a afastar doenças do coração. Melhor ainda se, no lugar do chocolate, for utilizado cacau em pó.

Antes de correr para a cozinha, no entanto, veja como os nutricionistas consultados pelo iG Gourmet avaliam esta informação.

Primeiro, às bases: um pedacinho de chocolate amargo por dia é um hábito que muita gente já adquiriu para cuidar do coração. No ano passado, a Associação Americana de Nutrição disse que comer todos os dias um quadradinho de um tablete de chocolate amargo, durante duas semanas, ajudaria a diminuir os riscos de doenças cardíacas.

Foi apenas mais uma peça na pilha de informações a favor de substâncias como os flavonóides, as mesmas estrelas do vinho, da laranja, da tangerina... e que comprovadamente ajudam a reduzir o risco de doenças cardíacas.

Esse tipo de chocolate costuma ter maior concentração de cacau, que, por sua vez, é apontado com importante fonte dos tais flavonóides que, entre outras coisas, contribuem para diminuir a pressão sanguínea.

Moderação - Segundo a nutricionista Kátia Gavranich Camargo, a teobromina é outra importante constituinte do chocolate. Parente próxima da cafeína, é rica em ácidos graxos essenciais, que poderiam de fato ter o efeito antiinflamatório apontado no estudo. O recomendado, no contexto de uma alimentação saudável, é consumir duas colheres de sopa por dia de chocolate em pó, ou o próprio cacau".

O leite desnatado é indicado para dietas de emagrecimento ou para quem tem níveis de colesterol elevados. Os achocolatados não são as melhores opções por possuírem muito açúcar e leite em pó na composição, o que aumenta o valor calórico e diminuiu as propriedades funcionais do chocolate, diz Kátia.

Aliás, é importante a anotação de que o pó de cacau não é a mesma coisa que o achocolatado industrializado e docinho, que repousa nas prateleiras dos supermercados. O estudo fala de pó de cacau, nada parecido com chocolate, menos ainda com achocolatado, questiona Daniel Bandoni, nutricionista da Universidade de São Paulo (USP). A concentração dos flavonóides no achocolatado comum é muito pequena, por isso acho que a recomendação básica é ainda evitar o consumo desse tipo de produto rico em açúcar e de alta densidade calórica.

Dito isso, o cacau vence.

Leia mais sobre: cacau

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.