Tamanho do texto

A Itália é um país apaixonante por seu clima, sua gente e sua gastronomia indissociável dos vinhos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535084337&_c_=MiGComponente_C

Era chamada pelo gregos de Enotria (terra do vinho), pela diversidade de rótulos que produzia e ainda produz. As parreiras estão em 835 mil hectares de seu território, tornando a Itália a terceira maior área produtora (a primeira é a Espanha, seguida pela França).

Aqui encontramos uma infinidade de uvas autóctones¹: Nebbiolo, Sangiovese, Canaiolo, Primitivo, Malvasia Nera, Nerello Cappuccio, entre outras.

Seus produtores tradicionalistas ressaltam o conceito de terroir trabalhando com poucas castas que não sejam nativas, resultando vinhos espetaculares que se transformaram em referencias internacionais.

BAROLO : conhecido como o rei dos vinhos e o vinho dos reis, é originário do Piemonte e maior representante do que a uva Nebbiolo é capaz de fazer.

AMARONE DELLA VAPOLICELLA : produzido com uvas secadas em celeiros, desde sua colheita (que acontece se Setembro a Novembro), até o mês de janeiro. A concentração de açúcar destas uvas irá resultar num vinho de alto teor alcoólico, seco, longevo e carnudo.

BRUNELLO DI MONTALCINO : neste caso é a Brunello (clone da Sangiovese e como é mais conhecida) que brilha absoluta num poderoso DOCG² oriundo das colinas de Montalcino (Siena). Esta pérola passa por processos criteriosos de produção, pois as vinícolas sérias não o produzem se a safra não for excepcional. Ao todo este tipo de vinho passa, no mínimo, cinco anos dentro da vinícola antes de ser comercializado.

CHIANTI e CHIANTI CLASSICO : talvez um dos mais populares vinhos italianos, é produzido na Toscana com uvas: Sangiovese, Canaiolo, Trebbiano (Ugni Blanc), entre outras. Apresentam um caráter ácido bem marcado, o que os torna uma excelente opção para o acompanhamento de pratos mais gordurosos.

Podemos descrever os vinhos italianos como descrevemos as pessoas daquele país, que são, em geral, de personalidade forte e marcante, efusivos, não passam despercebidos, nem tampouco são tímidos e dão um verdadeiro show à mesa.

DICAS : Chianti Fattorie Parri DOCG (Toscana); Barolo Icardi Parej (Piemonte) e Amarone della Valpolicella Brigaldara (Veneto).

¹ Uvas nativas de dada região;
² Denominação de Origem Controlada ¿ legislação que regulamenta a produção de vinho em dada região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.