Tamanho do texto

Todas as regiões vinícolas passaram em algum momento de sua história por mudanças, mas talvez nenhum tenha acumulado tantas quanto a ÚMBRIA

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535089582&_c_=MiGComponente_C

Por volta do final dos anos 70, a região vivia ofuscada por sua vizinha a Toscana e desacreditada da possibilidade de produzir vinhos de primeira linha.

Cravada no centro da Itália , detentora de muitas colinas e cortada pelo Rio Tibre, a Úmbria é o lugar de poucos vinhos de renome. Atualmente conta com duas DOCGs ¹, sendo elas ROSSO DI MONTEFALCO e TORGIANO e, 11 DOCs ² entre elas ASSISI , VINOSANTO e ORVIETO , sendo esta a denominação mais difundida e responsável por vinhos brancos leves e frescos.

As cepas brancas de destaque são a Trebbiano Toscano , Verdello , Grechetto , Canaiolo Bianco e as tintas: Sangiovese , Sagrantino (que produz grandes tintos), Merlot e outras.

Foi uma visão moderna aliada ao conhecimento e na crença no projeto do pai que fez com que os irmãos Cotarella elevassem o respeito internacional da região. Eles criaram a vinícola FALESCO , resgatando videiras históricas que ao longo de muitos anos de pesquisa deram origem a clones bem sucedidos, quando plantados em solos adequados e de boa insolação.

Essa filosofia fez com que diversos outros produtores seguissem a mesma seriedade para elaborarem seus vinhos, por isso hoje podemos encontrar excelentes opções de mais este recanto italiano.

DICAS : Orvieto Clássico DOC (Produtor: Barbi ¿ Branco de Trebbiano Toscano, Grechetto, Verdello, Drupeggio e Malvasia); Vitiano IGT (Produtor: Vinícola Falesco ¿ Tinto de Sangiovese, Merlot e Cabernet Sauvignon) e  Sagrantino di Montefalco Collepiano (Produtor: Arnaldo Caprai ¿ Tinto de Sagrantino).

¹ Denominação de Origem Controlada e Garantida;
² Denominação de Origem Controlada

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.