Tamanho do texto

Já dissemos que a Itália figura entre os 3 maiores produtores de vinho do mundo e, que no passado era chamada de Enotria (terra do vinho) pelos gregos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535084754&_c_=MiGComponente_C

Mas vale dizer também que atualmente a Itália conta com mais de 20 zonas DOC (Denominação de Origem Controlada), que é uma legislação introduzida em 1963, regulamentando a produção de alguns vinhos que passaram a receber um selo que dá garantias de que os mesmos seguiram todas as normas impostas pelas leis acima citadas.

Esse país nos apresenta maravilhas enogastronômicas, a mais rica variedade de tipos de vinhos, climas diversos e, sobretudo, uma ampla gama de uvas autóctones¹. Podemos mencionar ainda como uma de suas grandes preciosidades as famosas e caras trufas brancas, que são farejadas nos bosques do Piemonte por cães treinados, sendo servidas em pratos simples acompanhadas de dois grandes ícones regionais: O Barolo e o Barbaresco.

O Piemonte se localiza ao noroeste do país e está dividido em duas partes pelo Rio Pó, é berço de uvas importantíssimas como a Nebbiolo, a Barbera², Dolcetto, Grignolino, Brachetto e Freisa (só para citar algumas uvas tintas). Se falarmos do Piemonte meridional é preciso lembrar que a Moscato (muscat) é a uva branca mais badalada, responsável pelo conhecidíssimo ASTI SPUMANTE DOCG.

Um dos grandes segredos dos vinhos piemonteses reside no conhecimento, por parte dos produtores, do microclima e do terroir local.

Em algumas zonas do sudeste predominam solos alcalinos, de calcário. Já em outros pontos encontra-se magnésio e manganês. Quanto ao clima temos: outonos com névoa espessa nos vales; invernos úmidos, frios e com possibilidade de neve; primavera com potencial de chuvas de granizo e verões com alto potencial de muito calor. Todas essas adversidades tornam a vida do viticultor um grande desafio contra as intempéries do tempo, uma vez que toda uma safra pode ser perdida ou muito comprometida, se no momento errado houver mudanças climáticas muito bruscas.

Como se percebe, a produção de vinhos no Piemonte é uma arte que demanda muita dedicação, tendo como resultado final grandes delícias que nos sacia o paladar e eleva a alma.

DICAS : La Rosa Selvatica Moscato DAsti (Produtor: Azienda Agricola Icardi - Branco, doce); Barbera DAsti Sodno (Produtor: Fontanafredda ¿ Tinto, seco) e Barbaresco Brich Ronchi (Produtor: Albino Rocca ¿ Tinto, seco).

¹ Uvas nativas no local
² Uvas mais plantada na Itália

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.