Tamanho do texto

Equipe a cozinha com dez das formas mais importantes que um cozinheiro pode querer

Acordo Ortográfico

Parece um detalhe dispensável checar se a receita pede forma quadrada, redonda, alta, baixa, com 23, 30 ou 35 centímetros de diâmetro. Mas para quem quer um resultado perfeito, vistoso e saboroso, prestar atenção nos melhores modelos de forma é essencial.

>> Veja galeria de fotos com todos os tipos de formas

Algumas têm seu uso como algo vem óbvio. Massas de pizza , por exemplo, só ficam realmente boas quando preparadas em assadeiras apropriadas, de lateral muito baixa, quase como um tabuleiro. A borda mais alta certamente faria a massa ficar crua em algumas partes, e tostada demais em outras.

No caso dos pães caseiros , é a mesma coisa. Quando se faz a massa em casa, a porção pode ser levada ao forno em uma assadeira baixa comum ¿ mas na forma própria, retangular , o cozimento acaba saindo de modo mais uniforme.

No caso das demais assadeiras, cada uma tem sua vocação. A retangular funda é a que serve melhor para peixes, carnes e assados em geral. Com ela, o caldo que se deposita no fundo pode ser reaproveitado para regar o prato, por exemplo. Já a assadeira retangular rasa é mais indicada para bolos e tortas.

Existem ainda assadeiras retangulares com grelha , melhores ainda para os mesmos assados ¿ que ficam cozidos mais por igual do que nas assadeiras comuns. Além disso, elas são boas ajudantes quando a idéia é grelhar legumes, não deixando que grudem no fundo da forma.

As assadeiras redondas são sempre mais indicadas para bolos, por causa do cozimento de fora para dentro, mais igualado ¿ crucial em bolos, que não podem ficar meio moles. Aliás, no caso de pudins e sobremesas mais líquidas, o ideal é optar pelas assadeiras redondas e com buraco, que garantem o cozimento perfeito do doce.

Formas móveis são indicadas também para sobremesas, principalmente aquelas feitas com massa e recheio. Laterais e fundo destacáveis facilitam na hora de desenformar e levar o doce à mesa de modo mais perfeccionista.

A sobremesa, aliás, é o momento do cardápio que mais gera o uso de formas específicas. Hoje é fácil encontrar à venda modelos com fundos e bordas decoradas, laterais sanfonadas (tradicionalmente usadas para quiches e tortas) e aquelas específicas para muffins e cupcakes ¿ antes comuns apenas em outros países, mas que há tempos invadiram o Brasil.

Novidades, nesse mercado, nunca faltam. Até por isso também é simples comprar, hoje, formas e assadeiras que não são feitas de alumínio, como as tradicionais, mas de materiais resistentes como o aço inox (mais caras, mas muito mais duráveis) e maleáveis como o silicone. Bem utilizadas, elas rendem ótimos resultados ¿ e é cada resultado tão saboroso...


Leia mais sobre: formas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.