Tamanho do texto

Leves e pouco calóricos, os sorvetes de iogurte tomaram conta do país

MiGComponente_C:undefined

O sorvete de iogurte do restaurante America, em São Paulo, sempre fez sucesso. Há mais de dez anos ele é servido nas versões normal e light, com caldas de frutas, chocolate e chantilly. Está constantemente em destaque no cardápio e sempre foi um dos itens mais vendidos da casa. Isso porque a febre dos iogurtes gelados e cremosos apareceu primeiro nos Estados Unidos e o restaurante retrata bem a gastronomia de lanchonete de lá. Ocorre que, depois de contagiar a Europa, a mania também chegou ao Brasil. Veio na bagagem de Un Ae Hong, então funcionária da Varig. Hoje, ele dominou o país e se destaca com fórmulas próprias em sorveterias especializadas, gourmets e até no estilo picolé.

Hong é coreana e foi aeromoça por 30 anos. Com as crises da empresa estourando nos noticiários ela decidiu botar em prática um plano B. Seus olhos cresceram para o sucesso que as casas especializadas em sorvetes de iogurte faziam nos Estados Unidos – a comissária de bordo tinha casa em Los Angeles e no Rio de Janeiro – e ela decidiu estudar a possibilidade de abrir negócio similar no Brasil.

“Pelo fato de ficar dividida entre as duas cidades, pude acompanhar de perto o boom do mercado de frozen yogurt na Califórnia. O surgimento do iogurte congelado se deu no auge da preocupação dos americanos com a obesidade, problema considerado de saúde pública no país. Além disso, o clima quente de lá era extremamente propício para o consumo do produto”, diz ela.

“Percebendo as similaridades da Califórnia com o Rio de Janeiro, tive a certeza de que o frozen yogurt seria um sucesso por aqui. O Rio é uma cidade de clima quente e os cariocas se preocupam com a alimentação. Tem coisa melhor do que comer uma guloseima de baixa caloria e que ainda faz bem à saúde?” Acertou. Depois de dezoito meses mergulhada no mundo maravilhoso dos sorvetes, ela e a irmã nutricionista, Jong Ae Hong, criaram a receita que vale ouro – com formato americano e expertise italiana adaptadas ao paladar brasileiro – nos sabores chá verde, natural, misto e natural diet.

Em menos de um ano a dupla inaugurou outra casa no Rio. Mais alguns meses, e veio a oferta para abrir uma loja em Minas Gerais. Nascia a primeira franquia da  e estava dada a largada para nova modinha brasileira – sorvetes de iogurte com caldas, confeitos e frutas vendidos à parte.

Hoje, a Yogoberry conta com oitenta lojas distribuídas em catorze estados do Brasil e, além de abrir espaço para outras redes do tipo no mercado, chamou a atenção para itens que há muito são prata da casa. Caso dos sorvetes de iogurte com damasco ou amora da Mil Frutas, cujo sucesso não é abafado nem pela instigante carta de sabores da casa. “Elaborados sem nenhum aditivo químico, eles passaram a fazer parte de nosso cardápio há quase 10 anos. Criamos essa receita porque achávamos que o iogurte tinha potencial. E deu certo!”, afirma Juliana Saboya, uma das sócias da premiada sorveteria carioca com filial em São Paulo.

MiGComponente_C:undefined Mas a Mil Frutas não é a única que acreditou no produto, mesmo antes das irmãs Hong lançarem as casas especializadas. Adivinhe qual é o sorvete mais vendido na casa paulistana de origem italiana Stuzzi, inaugurada em 2008? “O sorvete de iorgute com limão siciliano é um dos carros-chefe da gelateria. Ele é uma tradição desde os tempos do meu avô Vittorio Scabin, nascido em Sappada, norte da Itália, que veio para o Brasil na década de 1920”, afirma o proprietário, Alexandre Scabin.

Sua família, aliás, contribui largamente com a produção de gelados gourmet no país e a valorização da massa de iogurte. Leandro Scabin, irmão de Alexandre e, portanto, neto de Vittorio, é quem está à frente da festejada Diletto, que faz sucesso com picolés levíssimos como neve. A aposta da marca brasileira fundada em 1922 por seu avô, na Itália, para o próximo verão brasileiro é o iogurte com limão siciliano no palito, ainda mais leve do que os outros sabores da empresa. “Nossa motivação foi oferecer um picolé saudável, cremoso, refrescante e essa combinação se mostrou perfeita”, afirma Leandro.

A novidade tem agradado tanto que alguns restaurantes se renderam a ela e têm a delicinha gelada no cardápio. “Percebemos que o sorvete de iogurte é tendência forte”, afirma Tiago del Bianco, chef do NOU, em São Paulo. A casa compra o produto em massa da Diletto, que tem venda exclusiva para restaurantes e lanchonetes especiais, e o serve com frutas da estação. “É o gelado que mais sai na sobremesa.”

Como se vê, parece que o produto veio para ficar. É bem pouco provável que o brasileiro abra mão do doce que ainda é saudável. Pelo menos, até que o mercado apresente algo que, além de delicioso, tenha calorias negativas. Quem sabe a fórmula mágica não venha dos herdeiros da família Jetson?

Yogoberry . Possui 80 endereços no Brasil
Stuzzi . Rua Paulistânia, 450, Vila Madalena, São Paulo, (11) 3816-0279
Mil Frutas . Possui 7 endereços no Rio de Janeiro e 2 em São Paulo
America . Possui 14 lojas em São Paulo
NOU . Rua Ferreira de Araújo, 419, Pinheiros, São Paulo, (11) 2609-6939

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.