Tamanho do texto

Muita gente se guia só pelas palavras light e diet na hora de encontrar um produto que caiba na dieta. Mas entre esses dois tipos de alimentos, vai uma grande diferença

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535043545&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

Há quem coloque tudo no mesmo saco e acredite mesmo que usar alimentos diet e alimentos light dá o mesmo resultado. Erro grave. Não só a inscrição light é muito diferente do que é diet quanto ambos podem ser extremamente prejudiciais para pessoas com diabetes, por exemplo. Light não faz emagrecer por magia; diet não significa zero açúcar; e alimentar-se com sabedoria é, acima de tudo, pesquisar a fórmula dos produtos dando mais atenção aos seus rótulos.

Algumas pessoas associam o termo diet com a palavra dieta, e por isso pensam que é o alimento para emagrecer, esquecendo que existem outros motivos para restrições alimentares, como por exemplo alergias ou hipersensibilidades alimentares, comenta Flávia Morais, nutricionista da rede de artigos naturais Mundo Verde.

Vamos aos fatos: surgidos na década de 70, os produtos diet foram criados para demarcar aqueles itens totalmente destituídos de um ingrediente ¿ que não é apenas o açúcar, mas pode sim ser livre de lactose ou glúten, por exemplo. Então, produtos sem lactose, sem glúten ou sem açúcar podem ser chamados de diet (e, para isso, precisam ter a comprovação e o registro junto ao Ministério da Saúde).

O produto light, por sua vez, não têm nada com isso. O que ele é, de fato, é um alimento com redução de pelo menos 25% em uma substância específica de sua composição ¿ entre taxa de colesterol, gorduras etc.. É por causa desse tipo de confusão de palavras, essencialmente, que os diabéticos, por exemplo, precisam estar sempre atentos.

Nem todo produto diet significa sem açúcar. Para evitar problemas (e que a compra do produto errado possa até causar um grande mal à saúde), Flávia Morais faz o alerta. Mesmo termos como sem adição de açúcar não substituem a leitura do rótulo e da tabela nutricional dos produtos, pois informações sobre que nutriente foi eliminado ou reduzido, qual o tamanho da porção, entre outras, constarão neles, diz.

Aliás, é importante ler os rótulos mesmo não sendo diabético. Consumir um produto com açúcar pode não causar mal físico, mas pode enganar quem quer emagrecer, por exemplo. Apesar de diminuir a quantidade de certas substâncias, ser classificado como light não é garantia de perda de peso.

Os alimentos light não têm um poder emagrecedor por princípio. Obviamente, eles podem ser colocados na dieta de quem deseja perder peso por terem, muitas vezes, menor valor calórico ou de gorduras. Ainda assim, vale comparar valores, pois quem dá as cartas entre lights, diets e alimentos comuns é sempre o rótulo.

Leia mais sobre: light e diet

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.