Tamanho do texto

Além da boa e famosa farinha de trigo, existem dezenas de outras opções que podem disputar espaço na sua cozinha

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535039331&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

Há uma infinidade delas. De trigo, milho, arroz, soja, mandioca e até de castanha-do-pará ¿ das mais tradicionais às mais inusitadas, as farinhas podem dominar todo um corredor nos supermercados. Sua maior habilidade é, com certeza, a de incrementar e enriquecer diversas receitas na culinária de todos os países. Capazes de transformar a textura dos pratos, cada uma delas cabe melhor em um ou outro quitute. Basta experimentar.

Empanar o camarão em fubá antes de fritá-lo; acrescentar aveia ao bolo de carne; e preparar tomates recheados com palmito e farinha de mandioca, então? As farinhas se encaixam em muitos pratos com a maior criatividade. Para manter suas características, elas só precisam de alguns cuidados.

Toda farinha deve ser guardada em ambiente seco e fresco, com a embalagem bem fechada para evitar umidade e contaminação. É importante deixá-las longe de produtos com cheiro forte, pois elas absorvem odores. Também é importante ficar atento às datas de validade de farinhas com teor maior de gordura, como a de trigo integral ou as de castanhas, para evitar que fiquem com gosto rançoso.

Para saber o que cada uma delas reserva de melhor, siga a lista ¿ e aposte das farinhas para incrementar seu próximo cardápio:

1. Farinha de milho amarela: é flocada, fonte de fibras e de vitamina B6. É ideal para farofas, cuscuz e virados.

2. Farinha de milho branca: é igualmente flocada, mas sua coloração é branca. Ótima para polentas, para acompanhar carnes e ensopados de frango. É fonte de fibras e vitamina B1.

3. Farinha de milho (fubá): enriquecido com ferro e ácido fólico, o fubá é usado para fazer bolos, mingaus, empanar e fazer polentas e broas. Aparece bastante na culinária mineira.

4. Farinha de mandioca (tipo biju): é flocada e tem textura ideal para o preparo de farofas. Pode ser misturada ao leite, às frutas ou aos legumes, ou usada no preparo de mingaus.

5. Farinha de mandioca: a farinha de mandioca é muito utilizada na culinária do Norte e Nordeste do país. Acompanha feijão, carne-seca e peixes em geral e é ingrediente essencial do pirão.  Encontrada em versões de moagem mais grossa ou fina, crua ou torrada.

6. Farinha de grano duro (semolina): é resultado da moagem do trigo durum ¿ uma variedade de grão mais duro, com mais proteína e de cor amarela. A semolina é usada na culinária italiana e árabe para fazer doces, pudins, nhoques. É ótima para massas de pizzas (basta substituir metade da farinha de trigo pela semolina para deixar a massa mais crocante).  

7. Farinha de trigo integral: é um produto obtido da moagem do trigo com o farelo e o gérmen.  Usada em pães, massas de tortas, pizzas e salgadinhos em geral.

8. Farinha de trigo: é a mais tradicional, e dá elasticidade em massas, faz bolos crescerem e dá liga em salgados, tortas e pães. Pode ser também encontrada já misturada com fermento em pó e sal. 

9. Farinha de rosca: é o tradicional pão torrado ralado. Pode-se obter farinha de rosca de pão integral ou branco. Ótima para empanados e para gratinar.

10. Farinha de soja: pode ser utilizada no preparo de bolos e tortas, substituindo-se 1/3 da quantidade de farinha de trigo pela de soja.

11. Farinha de arroz: é obtida através de moagem de grãos de arroz. Mais utilizada para o preparo de massas da cozinha oriental, pode substituir a farinha de trigo branca em bolos, tortas, biscoitos e pães. Neste caso, use metade da farinha de trigo e metade da de arroz. 

12. Farinha de aveia: obtida pela trituração da semente da aveia, é indicada para preparar mingaus, vitaminas com leites e frutas, biscoitos e massas de panquecas.  

13. Farinha de feijão fradinho: é a farinha de feijão fradinho moído própria para o preparo de acarajé e vatapá. 

14. Farinha de castanhas diversas: pode ser de amêndoas sem pele (usada em massas de tortas doces e recheios), de castanha¿do-pará (ótima para massas de tortas, para decorar superfície de bolos e polvilhar docinhos) ou de castanha-de-caju crua (ideal para servir com sorvete e para cobertura de panquecas, ou usada para fazer massas de tortas, substituindo a farinha de trigo).


Leia mais sobre: farinha de trigo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.