Tamanho do texto

Quem já ouviu falar de peixes secos e carne de rena para o jantar, já ouviu falar na culinária nórdica ¿ mas há muito mais a conhecer sobre ela

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535081257&_c_=MiGComponente_C

Não é de espantar que a gastronomia da região composta por Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Islândia tenha tudo a ver com o frio, já que, no inverno, esses países mal chegam a computar 5ºC. Com temperaturas assim, optar por alimentos como batata, repolho e carnes de substância parece uma bela idéia para aquecer o corpo .

Como os ingredientes por vezes são um pouco repetidos nos pratos, muitos têm a mania de considerar a culinária dessa parte do mundo um tanto sem graça . Uma coisa difícil de encontrar, por exemplo, é uma receita escandinava que não leve batata , que, juntamente com a cenoura e o pepino, é o legume mais utilizado por lá.

Conservas, uma tradição nórdica

Além de serem usados ao natural, muitos ingredientes podem ser encontrados na forma fermentada nos pratos. Esse tratamento rende receitas como o chucrute de couve, picles, cebolas no vinagre e diversos outros tipos de conserva.

As carnes também entram nessa "onda da conserva". O mais famoso desses produtos é o arenque , um peixe típico (ou peixes, na verdade, já que cerca de 15 espécies servem para a receita) do Mar do Norte e do Báltico que é seco e salgado em sua preparação. O arenque é comum aos povos nórdicos desde 3.000 a.C. e ótima fonte de vitamina D e ômega 3 para quem o consome.

O gosto nórdico para carnes

Rena, carneiro, cordeiro e muitos peixes fazem parte do gosto nórdico. Na Finlândia, por exemplo, reinam os peixes de água doce ¿ enguias, carpas, trutas. Noruegueses preferem o salmão, criado em larga escala nesse país, enquanto o bacalhau é o predileto pela culinária da Islândia.

Suecos são grandes apreciadores de carnes mais comuns ao paladar brasileiro, como boi e porco . A diferença está no preparo, que sempre leva muitos molhos cremosos e até mesmo geléias ¿ sendo a de lingonberry , uma frutinha selvagem vermelha local, a maior vedete.

Frutas e verduras: pouca diversidade

Comer verduras não é muito comum nesses países. Em geral, alface tipo americano e acelga são as entradas mais utilizadas, assim como as frutas se resumem a ameixas, maçãs e peras , além de um morango aqui e outro ali.

Os artigos mais diferenciados são sempre importados - os países nórdicos costumam dar maior predileção a produtos orgânicos e ecológicos quando escolhem o que vem de fora.

Doces e sobremesas

Os nórdicos podem não ligar muito para as frutas e legumes, mas não tem como negar que eles se esmeram na confeitaria . Variados, os doces costumam ser muito saborosos. "Os biscoitos amanteigados da Dinamarca e da Suécia, em especial, são os melhores do mundo ", diz Vera Jacobsen, proprietária do restaurante Svanen , atualmente o único escandinavo da cidade de São Paulo.

Vera explica que, além dos amanteigados , fazem sucesso por aqueles lados os bolos de gengibre, folhados , tortinhas de maçã e compotas. Impossível não ficar com vontade de provar todos os quitutes nórdicos ¿ que, aliás, podem ser chamados de tudo, menos de sem-graça.

Quer experimentar um prato tipicamente nórdico? Vera Jacobsen passa a receita do Beksemad para você tentar em casa!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.