Tamanho do texto

Já imaginou como seria se não pudesse comer coisas corriqueiras como aquele pãozinho quentinho de manhã ou bolos e salgadinhos em festas de aniversário? Pois muitas pessoas sofrem desse problema com a doença celíaca

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535034645&_c_=MiGComponente_C

Você já deve ter reparado que vários alimentos dizem na embalagem que eles contêm ou não contêm glúten. Esta proteína ¿ encontrada no trigo, aveia e cevada ¿ é a vilã da doença celíaca, uma doença de origem genética e imunológica que se caracteriza pela intolerância ao glúten.

As pessoas com doença celíaca, ao ingerirem glúten, sofrem uma inflamação no revestimento interno do intestino que provoca atrofia e, por conseqüência, deficiência na absorção de nutrientes. Estima-se que acometa uma em cada 500 pessoas, comenta o médico gastroenterologista Dr. Hugo Werneck.

Os sintomas mais freqüentes são diarréia, desconforto abdominal, excesso de gases intestinais, náuseas, emagrecimento e fadiga. Nas crianças pode ocorrer atraso no crescimento e nas mulheres, alterações no ciclo menstrual. Nos casos mais avançados, pode ocorrer até a osteoporose.

A economista Maria Júlia Vasconcelos Wandalsen tinha cinco anos quando sua mãe notou que ela não crescia como os irmãos. Após muitos exames, foi dado o diagnóstico: doença celíaca. Na época, foi difícil a adaptação porque não havia muitos produtos nacionais sem o glúten. Os parentes e amigos que viajavam para o exterior ficavam encarregados de trazer bolachas e macarrão que ela pudesse comer.

Para Maria Júlia, a família teve um papel fundamental no processo de adaptação aderindo à mesma dieta. Agora, a economista não encontra mais tantos problemas como antigamente: a internet disponibiliza mais opções de receitas e alimentos e tem até loja que fornece apenas produtos sem glúten, como pães, massas para bolo e bolachas.

Como não há cura para a doença celíaca, a pessoa deverá se habituar e se informar sobre os ingredientes de cada produto, ler os rótulos nas embalagens e investir em ingredientes como arroz, batata, mandioca, polvilho, feijão, verduras e carnes para sua dieta.


Leia mais sobre: doença celíaca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.