Tamanho do texto

Dicas de alimentos que podem combater a tensão e aumentar a vitalidade

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535030708&_c_=MiGComponente_C

Se é verdade que o estresse é o mal do século, então também é possível dizer que todos somos o que comemos. Ditos populares à parte, a realidade é que o ritmo acelerado das grandes cidades, hoje, faz com que a irritabilidade e a depressão venham crescendo visivelmente. Especialistas já comparam o mal do estresse àquele ocasionado pelo fumo ¿ e, segundo pesquisas, as enzimas liberadas pelo corpo após o ser humano passar apenas cinco minutos de estresse já são suficientes para afetar o sistema imunológico. A solução, porém, pode estar bem perto. Perto mesmo: na geladeira ou no fogão.

Não é segredo que as dietas balanceadas, aquelas que equilibram a ingestão de alimentos de todos os tipos, auxiliam a ter a saúde em ordem. Mas comer determinados alimentos pode, também, ajudar a afastar o estresse. Basta escolher bem ¿ a começar pelos carboidratos.

Produtos como pães e massas tendem a estufar o estômago e trazer sonolência, certo? Mas basta fazer uso de macarrão ou pão integral para isso se reverter. Carboidratos desse tipo, além de cereais como a aveia e as castanhas, elevam o nível de serotonina, substância sedativa e calmante.

Também é muito recomendável que aquele que se sente estressado consuma mais verduras escuras, como brócolis e couve, ensina João César Castro Soares, endocrinologista e nutrólogo da Unifesp, Universidade Federal de São Paulo. Esse tipo de alimento é rico em ferro, importante para combater a anemia, e ácido fólico, um poderoso anti-depressivo, diz. A alface, constante na mesa do povo brasileiro por causa do preço mais em conta, é outra que faz bonito: a lactocina, substância contida nessa verdura, tem propriedade calmante.

O ômega-3 presente nos peixes e frutos do mar são outras ótimas opções para entrar na dieta contra o estresse. Por aumentar a atividade cerebral, eles diminuem o cansaço de um modo saudável. Doces e o café, que sempre levaram a fama de ter esse mesmo poder energético, também o fazem. Mas usar o açúcar refinado faz ganhar peso ¿ é sempre melhor, então, preferir as frutas para arrematar a refeição com um docinho ¿, enquanto a cafeína só é saudável se consumida em até 40 mg diárias (no máximo 2 ou 3 xícaras de café expresso).

A nutricionista Yara Benevides, de São Paulo, lembra que as vitaminas B6, B1 e E, além de zinco, magnésio e selênio ¿ substâncias encontradas em produtos variados como queijos, iogurte, grãos, carne de porco e nos derivados de soja ¿ também são perfeitas para trazer energia e dar fim à sensação de irritabilidade e fadiga.

Fazer várias refeições leves por dia e diminuir o sal são outras ações que vão espantar o estresse. O sal causa a retenção de líquidos, e essa perda faz o corpo humano ficar desesperado. Irritados, nós facilmente perdemos a paciência e o foco do trabalho ou da rotina, completa o doutor José César Castro Soares. Com essas regras em mente, o mal do estresse pode ser atrasado para o século que vem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.