Tamanho do texto

Conheça a bière brut, feita pelo método champenoise, o mesmo usado na fabricação do nobre champanhe

Brasileiros têm sede de cerveja. As do tipo pilsen, leves e descomplicadas, dominam o cenário nacional. São populares, dão refresco às conversas de bar e são fáceis de tomar, assim, com um gole atrás do outro. 

Basta, porém, um olhar atento nas prateleiras de grandes supermercados para notar que essas cervejas já não estão mais sozinhas. Importados ou não, outros exemplares encorpados, aromáticos e de sabores bem mais complexos também ganharam espaço. São rótulos que dão nova estampa ao mercado e propõem um jeito diferente de beber cerveja.

Um deles, talvez o mais inusitado, diz respeito a um seleto grupo chamado bière brut. O nome francês não é gratuito. Encaixam-se nessa categoria as cervejas produzidas a partir do método champenoise, processo criado na região de Champanhe, na França, para a fabricação de espumantes.

Não é preciso ser especialista para distingui-la das demais cervejas. Para começar, seu aroma é marcante - costuma tender para o cítrico ou para o floral. Na boca, as borbulhas são intensas e, guardadas as devidas proporções, fazem mesmo lembrar um espumante levemente adocicado. Depois de um tempo, já descansada na taça, fica ainda mais expressiva. Por isso, não precisa ser servida estupidamente gelada, como fazemos com as do tipo pilsen. Para acompanhar, pratos feitos com peixes e frutos do mar realçam a bebida. Um ceviche fresco ou uma saladinha de mexilhões são escolhas acertadas.



O que é champenoise
Assim como acontece com o vinho, a cerveja feita pelo método champenoise é submetida a uma segunda fermentação dentro da própria garrafa, explica Cilene Saorin, mestre cervejeira e presidente da Associação Brasileira dos Profissionais em Cerveja e Malte.

São três as fases do champenoise. Primeiro, quando vai para a garrafa, o líquido já fermentado recebe mais leveduras e açúcares. Depois, na fase de maturação, as garrafas são giradas e inclinadas diariamente durante um período que pode variar de três meses a um ano. Quanto mais tempo, mais equilibrada será a bebida, afirma Cilene ¿ para efeito de comparação, as cervejas comuns levam apenas quinze dias para ficar prontas.

Na última etapa de produção da bière brut, o gargalo da garrafa é congelado e os resíduos de leveduras são expulsos, graças à pressão interna gerada pela segunda fermentação. Isso deixa a bebida límpida e brilhante.

É uma tarefa árdua e desafiadora fazer cervejas desse tipo, completa Cilene. Segundo ela, todo o cuidado despendido na produção reflete diretamente em nobreza do sabor. São cervejas encorpadas, com forte perlage (quantidade de borbulhas) e teor alcoólico elevado, podendo chegar a 12%". A média brasileira é inferior a 5%.

Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.