Tamanho do texto

Numa lojinha no interior de São Paulo, são vendidas até 1.000 unidades diárias desse doce conhecido como "a melhor bomba do mundo"

Leandro Farchi/ Fotoarena
"A melhor bomba de mundo" é produzida em Campinas, numa lojinha típica do interior
A receita é simples, mas daquelas com detalhes que devem ser seguidos à risca. E o resultado é um doce que explode na boca à primeira mordida. “Por isso, se chama bomba ou éclair [do francês, relâmpago]”, diz Adriano Ribeiro Nogueira, chef e professor de gastronomia do SENAC SP. Em outros formatos é conhecida como carolina ou profiteroles. “É um doce mundialmente conhecido e a receita pode sofrer alterações de acordo com a região”, explica Nogueira. E fica gostosa doce ou salgada. “A mesma massa pode ser recheada com sorvete, creme de palmito, frango etc”, garante Maria Angélica Guilherme, que ao lado do marido Carlos comanda a Fios de Ovos, em Campinas, interior de São Paulo. Com exclusividade para o iG Comida , o casal revelou os segredos do que os clientes da confeitaria chamam de “a melhor bomba do mundo”.

Clique aqui e confira aqui o passo a passo da "melhor bomba do mundo"

A bomba pode ser servida em temperatura ambiente ou gelada
Leandro Farchi/ Fotoarena
A bomba pode ser servida em temperatura ambiente ou gelada
Uma lojinha no interior

Há 23 anos, a acanhada confeitaria Fio de Ovos (Avenida Júlio de Mesquita, 58, Cambuí, Campinas, SP) produz “a melhor bomba do mundo”. Ávidos pelo quitute, os clientes disputam o pequeno balcão onde a sobremesa nem tem tempo de ir para a geladeira. “Se deixar, os fregueses vêm buscar o doce na cozinha”, brinca o dono da casa, Carlos Roberto Guilherme. Ele conta que muitos tentam até descobrir seu endereço residencial para comprar a iguaria fora do horário de funcionamento da loja.

Clique aqui e confira aqui a receita na íntegra da "melhor bomba do mundo"

A confeitaria vende cerca 200 bombas por dia, número que aumenta bastante no frio. “Muitas vezes, passamos de 1.000 unidades”, diz Guilherme. Ali, só tem um tipo de bomba: “o que faz sucesso”, garante ele. A (levíssima) massa é recheada com creme de confeiteiro e coberta com uma generosa camada de ganache de chocolate. O segredo? “Não tem muito açúcar, para não mascarar os outros ingredientes.”

Curta o iG Comida no Facebook e siga no Twitter

Veja também:

- Torta de morango de padaria passo a passo
- Torta de limão passo a passo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.