Tamanho do texto

Todo mundo sabe, é melhor não comer frituras com frequência. Mas como evitá-las? A resposta é simples: forno!

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535089169&_c_=MiGComponente_C

A textura de um alimento frito, sejamos sinceros, é mesmo deliciosa. Uma pena que esse método de cozimento seja bem mais calórico que outros ¿ e que não faça nada bem ao organismo também. Felizmente, existe uma alternativa que pode ficar igualmente saborosa: os alimentos assados .

Pode-se dizer, sim, que os assados são bem menos calóricos , explica Elaine Guaraldo, nutricionista e diretora da Vivens Victa Nutrição & Saúde. A fritura, durante o processo de imersão, faz os alimentos absorverem gordura, ao contrário do que é cozido, assado ou refogado.

O forno, então, é um grande aliado daqueles que estão buscando não só perder peso ou controlá-lo, mas para quem faz questão de manter uma alimentação saudável, diz Elaine. E não há perda nenhuma para o paladar: em relação ao sabor, os pratos assados podem ficar ainda melhores que outras receitas.

As carnes , por exemplo, podem e devem ser assadas, mas é preciso avaliar que alguns cortes têm a tendência de desidratar no calor seco criado pelo forno, se não forem tomadas algumas medidas necessárias. Peito do frango , lombo de porco e o lagarto , por exemplo, são carnes que tendem ao ressecamento , por terem pouca gordura.

Será bom, assim, escolher temperos para marinar as peças e assar usando papel alumínio (o que protege do calor direto e evita esse ressecamento). Nem todos os tipos de carne, de qualquer forma, são próprios para assar. Alguns ficam melhores ensopados e cozidos , como é caso do coxão duro .

Para outros alimentos, o forno é o ambiente ideal. É o caso dos legumes, como abobrinhas, cenouras ou berinjelas, cujos valores nutricionais ficam mais bem mantidos quando usamos o forno do que quando cozinhamos em água. Ou seja: vitaminas e sais minerais são garantidos pelo cozimento no forno, e não se diluem na água, diz Elaine Guaraldo.

Os benefícios de escolher o forno no lugar da frigideira são diversos. Uma das principais questões fica clara quando comemos fora de casa: é comum que alguns estabelecimentos reaproveitem o óleo de fritar muitas vezes, produzindo substancias tóxicas como a acroleína, que irrita a mucosa do estômago. Daí acontecer algumas vezes de, ao comemos fritura na rua, sentirmos a digestão prejudicada.

O mais interessante é que a maioria dos alimentos que geralmente são fritos costumam ficar muito gostosos também assados. Crianças podem adorar o nugget ou o hambúrguer feitos no forno, do mesmo modo que aqueles levados à gordura de imersão, por exemplo.

Isso porque esse tipo de industrializado já tem uma quantidade considerável de gordura em sua preparação e vai ficar igualmente crocante no forno. E é bom comparar: um alimento frito pode ficar de 20% a 30% mais calórico na frigideira. E para gastar essas calorias adicionais, levaria-se pelo menos uma hora de caminhada, lembra a nutricionista Elaine.

Vale pensar nisso na próxima refeição: fazer um hambúrguer caseiro, com carne moída apropriada e temperos selecionados permite ao indivíduo consumir quantidades de sal e de gordura bastante inferiores a dos industrializados. E outra dica: mesmo alimentos gordurosos devem ir ao forno, pois depois de prepará-los é possível desprezar o excesso de gordura que se formou no fundo da assadeira. A saúde agradece, enfim, a opção pelo forno.


Vivens Victa ¿ Nutrição & Saúde
(11) 3094-3833
www.vivensvicta.com.br

Leia mais sobre: assado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.