Tamanho do texto

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o alimento funcional é aquele que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para o consumo sem supervisão médica

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535030870&_c_=MiGComponente_C

A eficácia e segurança desses alimentos devem ser asseguradas por estudos científicos. Ou seja, eles devem oferecer benefícios como a redução do risco de diversas doenças e a manutenção do bem-estar físico e mental ¿ e não a cura de doenças.

Trocando em miúdos, são nossos melhores amigos à mesa. Vamos conhecer 10 deles agora, com comentários do médico cardiologista especialista em prática ortomolecular Dr. Fábio César dos Santos.

1. Salmão. Por ser uma grande fonte dos ácidos graxos omega 3, previne doenças cardiovasculares e previne e controla doenças auto-imunes e inflamatórias. Ajuda a combater as dores da artrite, melhora a depressão e protege o cérebro contra doenças como o mal de Alzheimer. Deve ser consumido cozido, assado ou grelhado, pois frituras e moquecas inativam sua proteção. Quantidade recomendada: 180 gramas/semana. O dr. Fábio César ressalta: Essas não são propriedades exclusivas do salmão. Outros peixes, como a sardinha, também contêm boas quantidades de omega 3. Também devemos nos lembrar de que salmões de cativeiro podem não ter as mesmas propriedades funcionais.

2. Uva. Tem efeito anti-oxidante, por causa dos flavonóides. Age prevenindo a formação de radicais livres, diminuindo os níveis de LDL-colesterol (o colesterol ruim). Além disso, ainda alivia as ondas de calor nas mulheres em menopausa. A uva também ajuda a inibir certos tipos de câncer e a formação de ateromas. Sua casca contém resveratrol e quercetina, que reduzem os riscos de doenças cardiovasculares, inibem a formação de carcinógenos, coágulos e inflamações. Quantidade recomendada: 2 copos de suco de uva ou 1 taça de vinho tinto seco/dia.

3. Soja. Por causa das isoflavonas, alivia sintomas desagradáveis da menopausa, reduz o risco de doenças cardiovasculares, do câncer de mama, do câncer de próstata e da osteoporose. Quantidade recomendada: 1 xícara de chá de grãos de soja/dia.

4. Aveia. A betaglucana contida na aveia ajuda no controle da glicemia e do colesterol sérico. Diminui as taxas de colesterol ruim e combate a prisão de ventre (um dos fatores de risco para o câncer de intestino). Quantidade recomendada: 3 colheres de sopa/dia de farelo de aveia ou 4 colheres de sopa/dia de aveia.

5. Azeite. É uma substituição simples e muito saudável: utilize azeite de oliva em vez de margarina ou manteiga. Essa substituição pode reduzir em até 40% o risco de doenças do coração. O azeite diminui as taxas de colesterol ruim. Quantidade recomendada: 1 colher de sopa/dia. Dê preferência ao azeite extravirgem, mas cuidado para não usá-lo em frituras, orienta Dr. Fábio.

6. Tomate. O licopeno, substância do tomate, tem intensa atividade anti-oxidante, reduz o risco de doenças cardiovasculares e do câncer, principalmente o câncer de próstata. Quantidade recomendada: 1 colher e ½ de sopa de molho de tomate/dia. O médico completa: O tomate é recomendado na forma de molho, pois, no cozimento, quebra-se o composto de fitolicopeno e forma-se o licopeno, facilitando sua ação.

7. Folhas verde-escuras. As folhas verde-escuras (espinafre, por exemplo), além de possuírem boas quantidades de betacaroteno e vitaminas C e E, contêm luteína, que, junto com a zeaxantina (um carotenóide anti-oxidante contido no pequi e no milho), protege contra a degeneração macular e ajuda na manutenção de uma boa visão. A luteína não é produzida pelo corpo humano, devendo ser ingerida. Não existe uma quantidade recomendável de ingestão de luteína, mas evidências sugerem um consumo de 6 mg a 20 mg/dia.

8. Alho. A alicina contida no alho reduz o risco de doenças cardiovasculares, estimula a produção de enzimas que protegem contra o câncer gástrico, e, Segundo o Dr. Fábio César, o alho é excelente para a imunidade e como antiinflamatório. Quantidade recomendada: 1 dente/dia comprovadamente diminui as taxas de colesterol e a pressão arterial. Novamente, não vale fritar!

9. Castanha-do-pará. Rica em selênio, auxilia na prevenção de problemas cardíacos e tireoideanos, além de ser um ótimo anti-oxidante. Seu potencial é reconhecido mundialmente, diz o cardiologista. Quantidade recomendada: 1 unidade/dia.

10. Chá verde (Camellia sinensis). Dr. Fábio César explica que o chá verde possui flavonóides anti-oxidantes, as catequinas, que ajudam a retardar o envelhecimento e têm propriedades para a prevenção de tumores e catarata. Estudos indicam que ele também pode diminuir a probabilidade de doenças cardíacas e auxiliar no emagrecimento. Quantidade recomendada: para reduzir os riscos de gastrite e câncer de esôfago, consuma de 4 a 6 xícaras/dia.

Serviço:
Dr. Fábio César dos Santos
e-mail: fabiocs@cardiol.br
home page: www.doutorsp.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.