Tamanho do texto

Depois de tantos eventos que levam o melhor dos restaurante para a rua a tendência também se inverteu. Conheça cinco restaurantes em que a atração principal é a comida de rua

Chicharron Buenazo: sanduíche de costelinha e batata doce bem típico do Peru
Divulgação
Chicharron Buenazo: sanduíche de costelinha e batata doce bem típico do Peru



A gastronomia parece que invadiu a rua mesmo. Eventos, como o Chefs na Rua , O Mercado e a Feirinha Gastronômica chegaram realmente para ficar e o público parece ter aprovado a idea de comida caprichada e preços acessíveis ao ar livre. E os chefs? Só elogios. O movimento começou há mais ou menos um ano e em 2013 comer comida de rua virou moda antes de virar hábito. Neste tempo, a comida de rua andou no caminho inverso e acabou tornando-se a estrela de alguns restaurantes. Conheça algumas casas que pegaram a essência destes pratos informais, mas oferecem um salão para comer e jogar a conversa fora.

CURTA O IG RECEITAS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

Sanduíche de manjubinha
Divulgação
Sanduíche de manjubinha

La Sangucheria

A chef peruana Cecilia Valle prepara comidas tradicionais do Peru em seu restaurante em Perdizes. São sanduíches e outras comidinhas servidas na rua e nas festinhas caseiras em sua terra natal. As adaptações foram poucas, mesmo usando muitos ingredientes típicos, como os ajís e diversos tipos de milho. Onde ela encontra? Na Feira da Kantuta, no Canindé, na zona leste de São Paulo.

O ambiente é simples e aconchegante. Nada de pratos, como uma boa comida de rua. Lá você vai encontrar saltenhas, tamalitos (quitute parecido com uma pamonha) e alfajores com cara de caseirinhos. "Os tamalitos são bastante comuns no café da manhã peruano. A mocinha sai na rua vendendo   tamales calentitos . Nas padarias sempre tem", explica Cecilia. A responsável por seus tamalitos é uma peruana que mora na cidade e é especialista no assunto.  A chef ainda faz seus próprios molhos caseiros para acompanhar os quitutes. Tudo bem típico e descontraído.

Onde: Rua Tucuna, 689 - Perdizes, São Paulo

Patacon
Divulgação
Patacon

Sabores de Mi Tierra

A especialidade da casa colombiana são as arepas (massa de milho branco) e os patacóns (discos de banana da terra frita) com coberturas e recheios variados.

"Os pratos são feitos como lá com os mesmos ingredientes e mesma forma de preparo. Na Colômbia, pode-se achar as arepas e os patacóns em qualquer lugar", explica Magdalena.

Refeições rápidas e preços módicos também fazem parte do coceito do restaurante de 22 lugares idealizado pleos chefs Magdalena Torres e Dagoberto Torres. Pratos? Só de papel. E para quebrar qualquer formalidade do ambiente, nada de garçons. 

Onde: Rua Lisboa, 971 - Pinheiros, São Paulo

Pastel passo a passo
Edu Cesar
Pastel passo a passo

A Pastella

Nada mais característico de comida de rua paulistana do que a barraquinha de pastel da feira. O chef Sandro Aires, que trabalhou anos como sub-chef do Fasano, resolveu investir no quitute e criar uma casa exclusiva de pastel. Uma pastelaria descolada que faz o quitute ao gosto do freguês, misturando ingredientes tradicionais e diversos com uma lista que ainda inclui sabores doces. 

Onde: Rua Booker Pittman, 179 - Chácara Santo Antônio, São Paulo


Curry
Divulgação
Curry

Made in Thai

Depois de uma viagem a Tailândia, a chef Camila Paluri resolveu abrir um negócio no Brasil. E nada mais taillandês que comida de rua. "Na Tailândia, só se come na rua, os restaurantes são muito caros", explica Camila. Apesar do menu enxuto, a comida é bem tradicional e, segundo a  chef, quase não há interferências. Os carro-chefes da casa são os curries (vermelho, amarelo e verde, que podem acompanhar tofu, abóbora, frango, carne ou porco), além do pad thai (macarrão de arroz, camarão, broto de feijão e molho agridoce).

O restaurante fica na Rua Augusta e tem mecanismo simples. Você faz o pedido, a cozinheira coloca sua wok a postos e prepara na sua frente o prato, depois é só retirar no balcão. "A região está cheia de gente que conhece ou se interessa por conhecer esse tipo de comida", explica.

Onde: Rua Augusta, 1524 lj. 12 - Consolação, São Paulo

The Dog Haus
Reprodução/Facebook
The Dog Haus

The Dog Häus

Quem nunca pensou em parar naquela barraquinha de rua para comer um cachorro-quente. O hábito pode ser até comum, mas os sócios do The Dog Haus resolveram ampliar o horizonte e criar um restaurante, em que a especialidade da casa é única e exclusivamente o cachorro-quente. Com produtos importados e e ingredientes diferentes do salsicha de pacotinho, ketchup aguado, purê e vinagrete, a ideia é comer um hot dog ao estilo americano. Entre os acompanhamentos estão opções, como chucrute, chili e barbecue, cebola e por aí vai. 

O lugar é pequininho, mas tem uma grande vantagem: fica aberto até tarde (de segunda à quarta fica aberto até às 2h; de quintas a sábados até as 4h e aos domingos até a 0h). Eles inauguraram este ano e prometem ser o "melhor cachorro-quente da cidade". 

Onde: Rua Bandeira Paulista, 406 - Itaim, São Paulo


Da rua para o restaurante, do restaurante para casa:

RECEITAS

CHICHARRON BUENAZO (SANDUÍCHE DE COSTELINHA)
SANDUÍCHE DE MANJUBINHA 
PASTEL GOURMET
AREPA DE PERNIL

Leia mais: Comida de rua pelo mundo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.