Tamanho do texto

Elena Arzak, escolhida melhor chef mulher do mundo em 2012 pela 'Restaurant', elogia a qualidade de verduras, frutas e peixe e se diz encantada com gastronomia brasileira

A chef espanhola Elena Arzak se encantou com os sabores do Brasil
Javier Lastras/WikiCommons
A chef espanhola Elena Arzak se encantou com os sabores do Brasil

"Sabia que eu comi piranha no mercado de São Paulo?", diz uma entusiasmada Elena Arzak, 43, com um largo sorriso que não disfarça a empolgação.

"Fiquei emocionada! Aquele lugar é incrível!". Consagrada como melhor chef mulher do mundo em 2012 pela revista inglesa Restaurant, ela acaba de voltar de uma rápida visita ao Brasil e diz ainda estar assimilando todos os sabores.

"Para o brasileiro, tudo tem que ser muito gostoso. E tudo que provei estava delicioso. Da comida mais elaborada ao sanduíche de pão com mortadela que comi no mercado municipal", reitera.

Elena Arzak esteve em Madri, na 27ª edição do Salón de los Gourmets, a maior feira gastronômica do país. Ao lado do pai, Juan Mari Arzak, recebeu dois prêmios dados pelos leitores da revista espanhola Club de Gourmets (melhor trajetória e prêmio de excelência).

Juan Mari, 70, é tido como um dos maiores cozinheiros do século 20, precursor da cozinha contemporânea espanhola e maior representante dela até o surgimento de Ferran Adrià, que elevou o país ao patamar de referência culinária internacional.

Ao lado da filha, ele comanda o restaurante que leva o sobrenome da família desde o fim do século 19 na cidade costeira de San Sebastián, no País Basco, detentor de três estrelas Michelin há 24 anos e há mais de uma década entre os dez melhores do mundo no ranking da Restaurant.

"Adorei o Brasil", conta Elena Arzak, que, há menos de duas semanas, esteve em São Paulo, na sua primeira visita ao país, representando a Fundação Basque Culinary Center em um workshop presidido por Alex Atala no Senac.

Elena exalta a qualidade das matérias-primas, "principalmente as verduras, as frutas e o peixe", mas diz que o que mais chamou sua atenção "foram os sabores". "Fiquei fascinada pela jabuticaba e trouxe polpa de açaí na mala. Meu filho de seis anos adorou. É uma pena que esteja acabando. Mas já estou fazendo meus contatos pra trazer. Não vou ficar sem açaí!"

Leia mais:
Cheesecake de limoncello e calda de jabuticaba
Bebida com açaí, banana e granola

"O tucupi tem um sabor... perfeito! É complexo, saboroso... e pra mim era um sabor desconhecido. Eu não sabia o que estava comendo, mas era incrível", afirma, dizendo já estar experimentando novas receitas com o ingrediente.

Juan Mari e Elena Arzak já foram premiados muitas vezes juntos pelo trabalho realizado no restaurante da família. Mas hoje, pela primeira vez, receberão numa mesma cerimônia prêmios individuais em categorias diferentes. "Aprendi com muita gente, mas meu grande mestre sempre foi meu pai", reitera Elena, que, antes de ser consagrada pela prestigiosa revista inglesa, nunca tinha recebido um prêmio individual.

A Restaurant criou o prêmio de melhor chef mulher em 2011. A primeira ganhadora foi a francesa Anne-Sophie Pic, que comanda o Maison Pic em Valence, na França. Em 2012 foi a vez de Elena e no início de abril a revista anunciou a ganhadora de 2013, Nadia Santini, do Dal Pescatore, em Runate, na Itália.

Para Juan Mari, o prêmio de melhor chef mulher do mundo para a filha foi a maior emoção de uma vida dedicada à criatividade culinária. "Só conseguia chorar", sorri orgulhoso, enquanto seus olhos se iluminam com as lembranças daquele dia.

    Leia tudo sobre: receitas
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.