Tamanho do texto

O evento, dos mesmos organizadores do Chefs na Rua, é a nova opção para os domingos na Vila Madalena, em São Paulo. Confira como foi a primeira edição

Depois de eventos bem sucedidos, mas esporádicos, São Paulo ganhou um lugar de reunião de chefs e novidades gourmet para chamar de seu. Todo domingo a Feirinha Gastronômica vai ocupar um estacionamento na Rua Girassol, 309, na Vila Mandalena. A primeira edição foi realizada neste final de semana (17) e recebeu pouco mais de três mil pessoas, segundo a organização.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

A iniciativa partiu dos mesmo produtores do Chefs na Rua, que teve sua última edição no aniversário de São Paulo , com a proposta de reunir chefs famosos, cozinheiros amadores e sucessos de bairro que são desconhecidos pelo público. Parece que deu certo. A primeira edição começou tranquila por volta das 11 horas. Lá pelas 13h, já tinha fila para entrar de meio quarteirão. Não faltou gente, apesar do calor e do fato de apenas 230 pessoas por vez terem acesso às barraquinhas. "Valeu muito a pena ter participado. Vendemos mais que o esperado, foi uma boa oportunidade de se fazer conhecer e trocar experiências com os colegas", comenta Emerson Mafra, sócio do La Madrileña. "Nós pretendemos voltar no próximo mês com novidades e pratos que fizeram sucesso, como as croquetas e as tortillas de batata", completa.

Confira as delícias servidas no dia 17:


Ana Raquel Samadello levou seus brownies para a exposição. Foram vendidos todos os 596 doces antes das 15 horas. "Foi ótimo. A ideia de ser uma grande vitrine ficou bem clara desde o início. Além de valer a pena financeiramente, muita gente me procurou para pedidos e curtiu a página no Facebook", diz a dona da marca AnaSama. "A experiência mais legal é a troca com a pessoa que come. Não tem segredo, é na hora. Isso é bom para aprimorar o trabalho", completa. 

As reclamações do público foram poucas: preços mais caros do que outros eventos do tipo, filas para entrar e o fato de a maioria das barraquinhas não aceitarem cartão. Mas a iniciativa parece ter agradado à maioria dos que passaram por lá.

Ficou com vontade? Semana que vem tem mais. O pratos não se repetem e os donos das barracas são rotativos para divulgar mais gente e manter o caráter da novidade. Quem se interessar, ainda dá para se increver e tentar participar de uma próxima edição.

Veja mais: Comidas de rua pelo mundo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.