Tamanho do texto

Confira o roteiro com que há de melhor no maior entreposto do Brasil, entre frutas, queijos, peixes, temperos e outras bossas

As obras começaram em 1928, mas só terminaram quatro anos depois, quando o espaço foi usado como depósito de armas durante a revolução constitucionalista de 1932. No dia 25 de janeiro de 1933, o projeto do arquiteto Ramos de Azevedo (o mesmo que desenhou o Teatro Municipal de São Paulo, a Pinacoteca do Estado e o Palácio da Justiça) foi inaugurado oficialmente para a finalidade que se propunha desde o início. Nascia assim o Mercado Municipal Paulistano, o maior entreposto do País para o comércio de verduras, frutas, carnes, peixes, laticínios e artigos de mercearia – e a mais completa tradução de São Paulo.

Os números impressionam. São 300 bancas e restaurantes espalhados por12.600 metros quadrados, e 30 mil visitantes por dia. Sua gastronomia cheia de possibilidades, reflexo de um caldeirão étnico que vive em perfeita harmonia, os trabalhadores incansáveis, que levantam o toldo de suas barracas antes de a luz do dia dar as caras, e sua arquitetura imponente também saltam aos olhos. Hoje, dia em que a cidade de São Paulo comemora seu 459º aniversário, o Mercadão da Cantareira, como é conhecido, completa 80 anos. Para celebrar essa dupla festa em grande estilo, o iG Comida montou um roteiro com o que há de melhor entre as ruas numeradas do grade prédio de vitrais coloridos, que enfeita o centro da capital. Se abasteça de gostosuras para comer ali ou em casa.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

FRUTAS
Um dos estandes mais visitados do Mercadão é a Banca do Juca (Rua I, box 23), que já serviu de cenário na novela global A Próxima Vítima (1995) – quem não se lembra do Juca, personagem vivido pelo ator por Tony Ramos? Ali, é possível dar a volta ao mundo em 80 frutas, provando tangerinas dekopon do Japão, pitayas da Colômbia, kiwis da Nova Zelândia, graviolas da Amazônia, mangostins da Tailândia, pêssegos da Espanha e muito mais. Entre as novidades desta temporada estão o noni do Havaí, o abacaxi gomo de mel da Bahia, o abil do Acre e as hossui (peras asiáticas). Na banca Amazon Frutas Exóticas (Rua K, box 23), há jenipapo, cupuaçus e jaborandis. O quilo das bananas São Tomé, típicas do Pará e famosas por sua casca avermelhada, custa R$ 22. Quer comer uma salada de frutas? Então vá ao Recanto das frutas (Rua M, box 38). Cada potinho com350 gramas sai por R$ 5, e o local também oferece morangos com leite condensado e espetinhos de uvas cobertas com chocolate.

QUEIJOS
Roque Tadeu Bruno Peta é quem pilota os boxes da Queijos Roni (Rua H, box 6, Rua D, box 2 e Rua F, box 1), onde são vendidos laticínios produzidos na fazenda de sua famíliaem São Sebastiãoda Guarda, no interior do Estado, pertinho da divisa com Minas Gerais.. Quem acha que ricota é um laticínio insosso vai se surpreender com sua versão cremosa (R$ 8,30/kg). O butirro (R$ 24/kg), uma mozzarella caciocavallo recheada de manteiga, típica da cidade de Catanzaro, onde viviam os antepassados calabreses de Roque, no sul da Itália, também é digno de nota. Há ainda bons provolones e queijos frescal.

PEIXES E FRUTOS DO MAR
Camarões de todos os tamanhos, polvos, lulas, pintados, robalos, salmões, pacus, trutas e muito mais colorem a vitrine da Ki-Peixe, boxe que tem a maior variedade de peixes e frutos do mar do mercado. O quilo do lombo de filhote, trazido da Amazônia, sai por R$ 39; os tambaquis inteiros, R$ 16 cada quilo. Já os camarões gigantes – e, pode acreditar, eles são de fato gigantes – custam R$ 110 o quilo.

OSTRAS
Dos mesmos donos da Ki-Peixe, a Casa das Ostras é uma versão mais simples dos oyster bars de cidades como Marselha, Barcelona e Sydney. Os moluscos são servidos com suas conchas sobre travessas repletas de gelo picado. Cada unidade custa R$ 4. Para acompanhar, o bar oferece espumantes, vinhos ou mesmo um chopinho. Passar por lá e não comer uma ostra geladinha é quase pecado.

BACALHAU
Muita gente acha que o principal produto comercializado no Mercadão é o bacalhau. Ninguém sabe dizer se isso é verdade ou mito, mas o fato é que há diversas barracas especializadas no comércio desse pescado salgado. Quer fazer um mergulho nesse universo sem cabeça? Visite o Império do Bacalhau (Rua B, box 16), o Imperador do Bacalhau (Rua C, box 15), o Rei do Bacalhau (Rua D, box 12), o Mundo do Bacalhau (Rua G, box 26), a Galeria do Bacalhau (Rua H, box 15) ou algum outro boxe que você certamente vai encontrar por lá.

CARNES
Para quem gosta carnes exóticas, a dica é dar uma passada na Porco Feliz (Rua E, box 26) ou na Rei dos Cabritos (Rua E, box 27). Na primeira, é possível encontrar carne de avestruz, capivara, faisão e javali. Os jacarés podem ser comprados inteiros, em filés (cortados de sua cauda) ou em cortes específicos – as coxas e sobrecoxas do réptil são vendidas por R$ 48/kg. Na outra, a especialidade são os cordeiros, bodes, carneiros e ovelhas, mas há também coelhos, patos e bons cortes de vitela.

TEMPEROS
Na Mr. Josef, ervas e osaquinhos com temperos exóticos em pó ficam pendurados no teto. Há centenas de produtos indicados para condimentar os mais variados pratos e receitas. Entre as curiosidades à venda por ali, vale citar os pós de caldo de carne, galinha e bacalhau feitos artesanalmente e sem sódio (os sachês com 100g custam entre R$ 1 e R$ 2,50), o zaatar, ideal para especialidades libanesas (R$ 4 por sacos de 250g) e as pimentas ultrafortes. A temível bhut jolokia, que, diz a lenda, é capaz de deixar uma panela inteira de feijoada pegando fogo com apenas uma gota, é vendida em frascos de 50 ml por R$ 10,50.

MERCEARIA
Os empórios que vendem castanhas, nozes, azeitonas, frios e outros artigos típicos das lojinhas de secos e molhados são grandes atrações do mercado. Nesses locais, em meio a milhares de itens, é possível encontrar preciosidades e iguarias raras. No Chiapetta, atualmente tocado pelo simpático Leonardo Chiapetta, há frutas secas de todos os tipos (como mangas, peras, tangerinas, morangos), bacalhaus de diversas qualidades, azeites, sais, chocolates, embutidos e muito mais. No canto dedicado às bebidas, dá para comprar um ice wine (vinho produzido com uvas naturalmente congeladas) obtido de um vinhedo argentino de Malbec (R$142 a garrafa de 500 ml). No canto das farinhas, há paneiros de farinha d'água feitos no Pará (R$ 20/ 500g). Na parte das trufas, é possível encontrar produtos com o delicioso aroma emanado desses fungos caçados no Piemonte, ao norte da Itália.

SANDUÍCHE DE MORTADELA
Adorado pelos glutões e esnobado pelos gourmets, o enorme sanduíche de mortadela do mercado – composto por nada menos do que350 gramasdo embutido dentro de um singelo pão francês -- já virou lenda na cidade. A cada dia, o Bar do Mané (Rua E, box 4) e a lanchonete Mortadela Brasil (no Mezanino) comercializam mais de mil unidades do sanduba, que custa R$ 11 e, se for servido quente, R$ 12. Se preferir uma versão com menos recheio, avise ao atendente ou o garçom que o quitute chegará às suas mãos em versão reduzida.

PASTEL DE BACALHAU
Outro clássico da gastronomia do Mercadão é o pastel de bacalhau do Hocca Bar. Tão superlativo quanto o sanduíche de mortadela, é recheado por200 gramasde bacalhau desfiado e passado no azeite. Cada unidade custa R$ 14,90. Muitos gourmands torcem o nariz para a receita, mas a maioria dos visitantes não está nem aí para os comentários dos especialistas -- as filas nos caixas das filiais do Hocca Bar (Rua G, box 7 e Rua G, box 21) que o digam. A cada dia, mais de 600 pastéis são vendidos por ali. Em tempo: o nome Hocca Bar é a junção das iniciais das palavras honestidade, ordem, consciência, carinho, amor, bom-senso, assepsia e responsabilidade. Então, tá.

TABACO
A Charutaria Bruno (Rua E, box 12) é uma sobrevivente no meio do abre e fecha de lojas do Mercadão. Lá, ainda é possível comprar fumo de rolo trazido de Candelária (Rio Grande do Sul) ou de Arapiraca (Alagoas). Mas a maioria dos clientes que passam pelo balcão da lojinha está interessada mesmo é nos narguilés, bongues, sedas e acessórios para fumo. Principalmente se eles forem estampados com o rosto de Bob Marley.

SOUVENIRS
Se você é daqueles que não consegue voltar para casa de um passeio um passeio sem levar uma lembrancinha, dê um pulo na Mercapoint (Rua M, box 42). Camisetas com a inscrição “I LOVE SP”, canecas com motivos paulistanos, sandálias havaianas estampadas com o grafismo das calçadas da cidade e pratos com a fotografia do Mercadão gravada na porcelana estão disponíveis na lojinha.

Mercado Municipal Paulistano
Rua da Cantareira, 306, Sé, São Paulo, SP, tel. 11 3313-3365

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.