Tamanho do texto

Movimento Brasil à Mesa oficializa parceria com o governo para valorizar a cultura gastronômica nacional

Participantes do Movimento Brasil à Mesa reunidos em Visconde de Mauá
Roberta Malta
Participantes do Movimento Brasil à Mesa reunidos em Visconde de Mauá
Acaba de ocorrer em Visconde de Mauá, na região serrana do Rio de Janeiro, a primeira reunião aberta do Movimento Brasil à Mesa. O projeto capitaneado pela chef Mônica Rangel, do Gosto com Gosto, oficializa a parceria com a Embratur, e pretende levar a gastronomia nacional ao mundo.

"Queremos mostrar que nós temos força, orgulho das nossas raízes", diz a chef. A ideia do projeto é estimular a universalização da gastronomia brasileira, setor que deve ser entendido como parte importante da cultura nacional.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

Os objetivos principais do grupo são pleitear atitudes em defesa de nossa gastronomia dos poderes públicos, criar mapas com os ingredientes e receitas que representam a cozinha brasileira e integrar todos os setores que compõem esse setor - mercados fornecedor e consumidor, produtores, cozinheiros.

"A gastronomia é um tesouro que temos nas mãos", diz André Vilaron, assessor da presidência da Embratur. "É um bem que nós temos e nem todos os países têm", completa.

VITÓRIA DA GASTRONOMIA BRASILEIRA

O Movimento Brasil à Mesa surgiu da insatisfação de Mônica diante da portaria número 100, do Ministério do Turismo, que determinava que para receber a classificação máxima um hotel deveria servir obrigatoriamente cozinha internacional - culinária brasileira aparecia no documento como item optativo. O grupo pretende reformular essa portaria junto ao governo, e incluir pratos nacionais emblemático nessa classificação.

Veja também:
Conheça a história do beirute
Roberta Sudbrack vai cozinhar para a equipe brasileira nas Olimpíadas
Apocalipse gourmet: Saiba os alimentos que devem desaparecer


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.