Tamanho do texto

Cidade se mobiliza em torno do evento Comida Di Buteco, que elege os mais saborosos e criativos petiscos. Veja receitas


São 21h de sexta-feira (04) quando uma van customizada com o logo do Comida Di Buteco, competição anual que elege os melhores petiscos de bar, é abordada em um farol no centro de Belo Horizonte. “Vocês têm um petisco aí?”, brinca o transeunte, que leva uma latinha de cerveja na mão. Diante da negativa do motorista, ele replica: “estamos indo para um boteco agora mesmo, já provamos vários dos (petiscos) participantes”.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

O evento, que foi criado na capital mineira em 2000 durante um programa de rádio do apaixonado por gastronomia Eduardo Maya, aos poucos ganhou corpo e caiu no gosto da população. Ainda que em 2012 esteja presente em um total de 16 municípios, é mesmo em Belo Horizonte que a competição encontrou sua casa. “No ano passado, dos 270 mil petiscos vendidos durante o mês do evento, 50% foram em BH”, diz Flávia Rocha, uma das organizadoras.

VEJA TAMBÉM: O MELHOR DE BH

Todos conhecem a competição na cidade e muitos se mobilizam para provar diferentes petiscos em vários bares, registrando a avaliação pessoal em cada um. Flávia conta que muitos dos bares participantes conseguem 40% do faturamento de todo o ano em um mês. Parte do segredo está no zelo pela boa comida demonstrado pelos donos dos estabelecimentos participantes.

VEJA TAMBÉM: OVO DE BOTECO

O catarinense Roberto Schons, responsável pelo bar Peixe Frito , por exemplo, demorou dias até chegar à receita ideal para um bolinho de tilápia com queijo minas. “Depois de semanas pensando junto com os cozinheiros, resolvi dar um tempo para esfriar a cabeça. Foi quando tive a ideia de usar a tilápia”, diz Schons. O segundo passo foi bolar o molho certo para acompanhar o prato. “Testamos 21 molhos diferentes até ficarmos satisfeitos”, garante.

FAÇA EM CASA : A COXNHA DO BAR VELOSO (SP)

Mais do que uma competição cujos patrocinadores oferecem prêmios em dinheiro aos vencedores, o Comida Di Buteco chama a atenção do público para o que é produzido em pequenos bares, muitas vezes ofuscados por estabelecimentos mais rebuscados. “Nossa ideia sempre foi ir atrás da comida que era feita em casa e que, em algum momento, a família decidiu começar a vender para os vizinhos e amigos”, explica Maya, que também é responsável pela seleção dos botecos.

Esse foi o caminho trilhado pelos irmãos Lage, responsáveis pelo Bar do Doca, que funciona há 15 anos na zona oeste da cidade. “Sempre gostamos de cozinhar. Depois que o Doca (Jorge Lage) abriu o bar, começamos a fazer cursos de culinária para nos aperfeiçoarmos”, conta Denise Lage, umas das cozinheiras por trás da elaboração dos petiscos do boteco.

APRENDA A FAZER: A CAIPIRINHA NOTA DEZ

Belo Horizonte é um polo gastronômico por excelência. Se entre os 11.500 bares e restaurantes espalhados pela cidade não faltam endereços sofisticados como os estrelados La Victoria , em Nova Lima, ou o Taste-Vin , no bairro de Lourdes, o Comida Di Buteco tenta provar que pratos complexos e saborosos não são sinônimos de preços altos e ambientes rebuscados. E consegue.

O Comida Di Buteco funciona até 13 de maio em 15 cidades. Em São Paulo, acontece entre 1º de junho e 1º de julho. Confira a programação completa aqui .

*O repórter viajou a convite da Hellmann's, patrocinadora do Comida di Buteco

RECEITAS
BOLINHO DE PEIXE
BOLINHO DE CARNE E TOUCINHO
BOLINHO DE CARNE COM QUEIJO MINAS NO MOLHO DE TOMATE
CARNE SERENADA, CREME DE MANDIOCA E BOLINHO DE ANGU
COSTELINHA E CUPIM NA CHAPA
TAPAS MINEIRAS

LEIA MAIS: MEXIDÃO É RECEITA MINEIRA, MAS VOCÊ TAMBÉM PODE INVENTAR A SUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.