Tamanho do texto

Confira dez dicas que podem salvar o estômago de um desastre digestivo

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535036861&_c_=MiGComponente_C

Acordo Ortográfico

É famoso o poder de certas comidas para ficar conversando com a gente após a refeição. Muitas pessoas acham que é só com elas, e vivem reafirmando que pimentão me faz mal e pronto. Na verdade, pode não ser a predisposição do indivíduo, mas o modo de preparar o alimento o que causa os problemas de digestão. Veja algumas maneiras de se livrar da sensação de explosão gástrica após comer certos pratos conforme dicas da chef e produtora culinária Fabiana Badra.

1. Molho de tomates
Antigamente era muito comum usar uma colherinha de açúcar para diminuir a acidez característica dos molhos feitos com tomate fresco. Essa acidez existe de fato, mas para cortá-la, já se sabe que há algo mais nutritivo para fazer. Acrescentando um pedaço de cenoura e outro de salsão à fervura do molho, a acidez vai embora ¿ e fica só um sabor a mais.

2. Pimentão
O legume fica bem mais palatável quando se retira, na chama do fogão ou na base da fervura, a pele. Na verdade, o mais importante é retirar, além da pele, as sementes do pimentão e, acima de tudo, aquela membrana branca que fica no seu interior. São elas que retêm a maior parte das substâncias que causam a indigestão.

3. Cebola e alho
Eles não precisam ser os vilões malignos que muitos costumam ver. Para diminuir a ação da cebola e do alho, basta cortá-los ou moê-los precisamente na hora de usar. É ao cortá-los com muita antecedência que ambos começam a fermentar, revirando estômagos mais tarde.

4. Leite
Quem já tem intolerância à lactose instalada deve cortá-lo das receitas e pronto. Mas quem apenas fica de barriga contrariada com o leite pode tentar usar a versão desnatada dele, com muito menos gordura.

5. Gordura vegetal hidrogenada
Ela é uma vilã de fato. Presente em muitos alimentos industrializados, essa gordura é bem pouco digerida pelo organismo, causando, além de mal-estar, a elevação do colesterol ruim, LDL. Retirá-la o máximo possível da dieta diária: essa é a solução.

6. Manteiga clarificada
É um modo de ainda usar gordura, mas com menos estragos ao corpo. Para fazer a manteiga clarificada, deve-se levá-la ao fogo baixo em uma panela de fundo grosso. Conforme ela for derretendo e fervendo, basta ir retirando os pedacinhos sólidos de gordura branca que se formarão na superfície. Ela estará pronta quando ficar com uma cor âmbar e transparente. Depois de fria, ela pode ser colocada em um pote fechado e guardada normalmente na geladeira.

7. Berinjela e carnes
Para quem sente o peso de alimentos desse tipo, a melhor dica é usar o forno em vez das panelas. Fritar os alimentos os deixa mais encharcados com óleo, o que prejudica a digestão. Assar é uma alternativa melhor e mais saudável em geral ¿ e basta observar o tempo de forno para que o prato não fique ressecado e, sim, saboroso.

8. Maionese
Nas receitas que pedem o uso de maionese, mude as proporções. Em vez de 100 gramas de maionese, por exemplo, use apenas 50 gramas dela e outros 50 gramas de iogurte. O sabor continua ótimo, e a receita mais palatável.

9. Ovo frito
Há quem adore, mas que foge dele pelo estrago que faz dentro do estômago ¿ com seu sabor perdurando por horas na boca. Vale tentar: em vez de usar muito óleo, frite o ovo em um frigideira anti-aderente com apenas meia colher de chá de azeite, praticamente uma única pincelada. Ele não vai grudar e irá fritar de um modo mais digerível.

10. Feijão e legumes
Alguns tipos de legumes, e o feijão também, são grandes provocadores não só de uma digestão mais difícil, mas também de gases. Couve-flor, brócolis, aspargos e cogumelos ¿ todos concentram muitas fibras, daí o efeito colateral. Nesse caso, o melhor é diminuir a quantidade deles na dieta e, além disso, deixá-los de molho antes de cozinhá-los.


Leia mais sobre: alimentos indigestos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.