Tamanho do texto

Tão perfeito quanto antigo, o casamento entre queijo e vinho é a combinação mais famosa de todos os invernos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=comida%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237535034164&_c_=MiGComponente_C

O queijo é provavelmente o melhor de todos os alimentos, como o vinho é a melhor de todas as bebidas. Patience Gray, 1957

Os franceses dizem que esses dois sempre foram aliados naturais. Claro, isso sem nos esquecermos do não menos famoso velho e bom pão pra coroar essa maravilhosa união. Saiba mais sobre o casamento de queijos e vinhos abaixo.

Um pouco da história

Evidências arqueológicas apontam vestígios de produções de vinho desde 3.000 a.C., na Suméria e no Egito. Por sua vez, o queijo é uma das formas mais antigas de manufatura de alimentos, datada também de 3.000 a.C., na Europa e no Egito. Não resta a menor dúvida de que nasceram um para o outro.

Mas... e as combinações?

Podemos classificar os vinhos em cinco tipos distintos: tintos, brancos, rosés, espumantes e fortificados. Os queijos podem ser frescos, maturados e maduros, cada classificação dessas com algumas subdivisões.

A combinação ¿ chamada de harmonização pelos especialistas ¿ é relativamente fácil. Mas não existe regra rígida. As melhores combinações são sempre as que seguem o critério do paladar de cada um. Então fica mais ou menos (logicamente dependendo muito mais do seu próprio gosto do que de outro fator qualquer) assim:

Vale lembrar que champanhes e outros espumantes combinam com todos os tipos de queijo. Agora, é só aproveitar.



Agradecimentos: Leonardo Lopes ¿ Mercatore Emporio ¿ (11) 3871 1266 - www.mercatoreemporio.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.