Tamanho do texto

Por conta do tamanho, do formato e da maneira como é feita, cada massa combina melhor com um tipo de molho. Saiba mais

Massas curtas são ideais para saladas e vão bem com molhos pedaçudos
Dulla
Massas curtas são ideais para saladas e vão bem com molhos pedaçudos
Italianos são bastante rigorosos quando o assunto é massa. No País da bota, cortar macarrão ou servi-lo cozido demais é pecado. Mas isso não é tudo. Muita gente não sabe, mas há regras também para misturar molhos ou ingredientes extras ao prato. E isso não é preciosismo, faz toda a diferença no resultado final.

Leia também: O jeito certo de cozinhar macarrão

Começa pelo fato de as massas terem desenhos diferentes, o que não é só charme. Cada tipo é pensado para determinado molho, e a combinação certa vai resultar em pratos equilibrados e muito mais saborosos. Mas, afinal, qual será o casamento perfeito? Como os tipos são inúmeros (centenas mesmo), e têm nomes que costumam variar de um lugar para outro, dividimos as massas em três categorias: secas, frescas e recheadas. Assim, fica mais simples fazer as harmonizações.

Nada de jogar o macarrão no prato: aprenda aqui a técnica para servir massas longas

As massas secas, normalmente industrializadas, não têm sabor muito definido, mas absorvem bastante o tempero. Por isso, vão bem com molhos marcantes como tomates, azeite, alho, ervas, frutos do mar e tudo o que dê personalidade a elas.

Curta o iG Comida no Facebook e siga no Twitter

Gravatinha: facilidade para absorver o molho
Dulla
Gravatinha: facilidade para absorver o molho
Essa categoria, aliás, pode ser dividida em duas: massas curtas e longas. As primeiras casam melhor com molhos mais rústicos, já que têm formatos cheios de curvas e buracos capazes de capturar os pedaços e o suco do tempero. São também as mais indicadas para saladas. As longas, por sua vez, pedem molhos à base de alho, azeite e tomate. E, quanto mais finas, melhor absorvem os condimentos.

Leia também: Cozinha de cantina

As massas frescas, aquelas feitas com ovos, são muito mais delicadas. Portanto, ficam melhores com molhos suaves, legumes ou simplesmente com manteiga.

Molhos clássicos: O verdadeiro ragu à bolonhesa

O segredo do legítimo pesto genovês

O carbonara tem pressa

Já as recheadas, como ravióli, canelone e rondelle, ficam mais gostosas se preparadas no forno e vão bem com molhos sugo, bolonhesa ou outros à base de queijo. Dá também para brincar com misturas leves como tomates e azeitonas ou apostar em um molho rosé, junção de molho branco e vermelho. Importante, aqui, é manter o equilíbrio e evitar ingredientes de sabor muito forte.

Veja aqui: como preparar o molho de tomate perfeito

Por fim, vale dizer que nem todo macarrão combina com queijo ralado. Segundo o chef consultor Rodolfo Leoni, esse acessório vai bem com os molhos vermelhos e alguns cremosos e, mesmo assim, se bem dosado. Sair despejando parmesão no prato pode acabar estragando a combinação, e fazendo sofrer o coração dos italianos.

Veja aqui: 20 receitas para comemorar o Dia do Macarrão

E ainda: Miojo chique: quatro receitas rápidas e baratas com o macarrão intantâneo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.