A fantástica fábrica de coxinhas

Desvendamos os segredos das famosas coxinhas de galinha do bar Veloso, em São Paulo. Siga o passo a passo para fazer em casa

Renata Helena Rodrigues, iG São Paulo |

Edu Cesar/Fotoarena
Coxinhas do bar Veloso, em São Paulo, douradas, com casquinha crocante e massa cremosa
Diz a lenda que a coxinha como conhecemos hoje surgiu por causa de um capricho de menino. A história se passa na época do Império: a tal criança, mimada e enjoada para comer, só gostava de coxas de frango. Um belo dia, as cozinheiras se desesperaram: o ingrediente estava em falta. A solução? Preparar uma massa à base de farinha de trigo, moldar em formato semelhante ao de coxas de galinha e rechear com o resto de frango do almoço. O menino adorou e o resto do País também. 

VEJA AQUI O PASSO A PASSO DA COXINHA DO VELOSO

Os menos literários preferem dizer que as coxinhas nada mais são do que uma variação tupiniquim dos croquetes europeus. Lendas à parte,  todo mundo concorda que os petiscos dourados pela fritura, de casquinha crocante e recheio temperado, são irresistíveis. No bar Veloso , em São Paulo, não há páreo para as coxinhas, tira-gosto preferido dos botequeiros de plantão. O acepipe entrou no cardápio dois meses depois da inauguração da casa, em março de 2005. Logo o boca a boca atraiu pessoas interessadas pelo quitute e, hoje, algumas pessoas vão ao pequeno bar na Vila Mariana só para provar as famosas coxinhas. O sucesso é tanto que em uma sexta-feira são vendidas, no mínimo, 1500 unidades do salgado.

CURTA O IG COMIDA NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

A receita do Veloso é resultado de experimentações. Os proprietários e cozinheiros  fizeram inúmeros testes até chegar à fórmula ideal. “Por conta da extrema cremosidade da massa, que é parecida com um purê, muita gente acha que nossa receita leva batata”, diz Otávio Canecchio, um dos proprietários do Veloso. Ele afirma que o maior desafio da casa é manter a qualidade do petisco, produzido em grande escala. E alerta: “é importante fazer a fritura em uma panela funda, com óleo extremamente quente”.

Outra receita famosa entre os boêmios paulistanos é a do Frangó, que também não leva batata. Quando  inaugurou, mais de 20 anos atrás,  era a esposa de um dos sócios do bar, na Freguesia do Ó, quem preparava o quitute. Hoje, o salgado é carro-chefe do cardápio - mais de 2000 coxinhas são mergulhadas na fritadeira em dias de grande movimento. “O essencial é usar bons ingredientes, não economizar no requeijão cremoso e fritar em óleo bem quente”, diz Fabiano Bellucci, relações públicas do Frangó. A saída do salgado é tão frenética que nem dá tempo de congelar.

Ficou com água na boca? Confira aqui a receita das coxinhas do bar Veloso

Qual a melhor coxinha de São Paulo?
Todo mundo tem um lugar preferido para comer coxinhas. Com os chefs não haveria de ser diferente. O iG Comida procurou cinco deles, todos com restaurantes na capital paulista, e fez a pergunta: "Qual é a melhor coxinha da cidade?"

Andréa Kauffman , do restaurante AK Vila , na Vila Madalena, em São Paulo, SP
“Gosto muito da coxinha do bar Genial , que é sequinha por fora e macia por dentro, com recheio muito bem temperado.”

Bel Coelho , dos restaurantes Clandestino e Dui , no Jardim Paulista, em São Paulo, SP
“A coxinha do Frangó é um clássico da cidade. A massa é leve e elas são pequenas, do tamanho ideal.”

Bella Masano , do restaurante Amadeus , no Jardim Paulista, em São Paulo, SP
“A Bel Coelho faz uma ótima no menu degustação do Clandestino . Mas entre as coxinhas de bar, não consigo decidir entre a do Frangó e a do Veloso . Para mim, são as duas melhores.”

Carlos Ribeiro , do restaurante Na Cozinha , no Jardim Paulista, em São Paulo, SP
"Gosto da coxinha do Look Lanches (Av. Paulista, 2206, Cerqueira César, tel. 11 3171-1973). Vou lá só para comer isso, nem refrigerante eu peço. Ela tem uma casquinha crocante e é macia no miolo, cheirosa... Perfeita!"

Raphael Despirite , do restaurante Marcel , no Jardim Paulista, em São Paulo, SP
"Em São Paulo, gosto muito da coxinha do Rancho da Empada da Avenida Sena Madureira. Mas sou fã mesmo da coxinha do Recanto Santa Bárbara , na Rodovia dos Tamoios, no município de Jambeiro."




    Leia tudo sobre: coxinhasreceitafrangóveloso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG