Entenda os significados dos alimentos mais consumidos no ano-novo judaico

Por Ana Lucia Silva , especial para o iG São Paulo

Texto

Cenouras, carpas, romãs e docinhos com mel não podem faltar na comemoração

Maçã com mel, no rosh hashaná, é garantia de um ano doce. Foto: Thinkstock PhotosChalá é o pão tradicional dos judeus. Para a data, ele ganha forma redonda. Foto: Thinkstock/Getty ImagesBolo de uvas passas e nozes é receita tradicional do povo judaico. Foto: DivulgaçãoPara os judeus, comer romã é sinal de que o homem está reforçando suas qualidades. Foto: Thinkstock PhotosGuefilte: o peixe preparado com cenouras em rodelas. O prato é símbolo de fartura. Foto: DivulgaçãoCuscuz marroquino é presente no almoço e no jantar da comemoração para os judeus de origem oriental. Foto: DivulgaçãoBolo de mel é um clássico do Rosh Hashaná. Foto: Divulgação

Shana Tová! Essas são as palavras mais repetidas pelos judeus nesse dia de comemoração. Segundo o calendário da religião, acabamos de entrar no ano 5775. O ano novo, chamado de Rosh Hashaná (do hebraico, cabeça do ano), marca uma época de reflexão e esperança para a comunidade e é um dos feriados mais importantes do povo judaico. Nesse ritual cheio de tradições não pode faltar nem família nem comida. Os pratos têm significados carregados de boas mensagens e sabores milenares.

CURTA O IG RECEITAS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

O chalá é um pão muito consumido pelos judeus, mas nessa época do ano ele ganha um novo formato. “O pão levemente adocicado, que normalmente é traçado e retangular, fica redondo simbolizando que a vida é cíclica, que não tem começo, meio e fim”, explica a banqueteira Mônica Dajcz.

O almoço e o jantar são dois momentos importantes. Cada família tem um cardápio específico e que varia de acordo com a região de seus ascendentes e os produtos característicos de cada área. “Os judeus ocidentais usam bastante o mel, caldo de galinha com bolinhas de matzá e o arenque. Já a tradição oriental consome pratos com bastante influência árabe, como o cuscuz marroquino”, explica Mônica.

VEJA TAMBÉM: COMIDINHAS DA SORTE

O que junta as duas tradições é o peixe e a romã. “A receita mais tradicional leva traíra e carpa, que simboliza fartura e fertilidade, e cenouras cortadas em rodelas, que lembram moedas”, diz a banqueteira. “Geralmente, é oferecida para a pessoa mais velha a cabeça do peixe”, completa. “Já a romã é símbolo de esperança e prosperidade”.

Maçãs e mel são obrigatórios. Doces, aliás, não podem faltar de jeito nenhum. Eles simbolizam o desejo de um ano bom. Além de servir, eles também são dados como presentes. “Pão de mel, bolo de mel, balas de mel e chocolates são presentes para desejar um bom ano, um ano doce. Essa é uma tradição muito forte”, explica Daniela Gorski, uma das sócias da Confeitaria Dama.

VEJA TAMBÉM: PRESENTES DOCES PARA O ANO NOVO JUDAICO

RECEITAS
BOLO INGLÊS DE PASSAS E NOZES (CUMISHBROT)
BISCOITO DE MEL 
CUSCUZ MARROQUINO

VEJA TAMBÉM: PÃO DE MEL PASSO A PASSO EM VÍDEO

Leia tudo sobre: ano novoano novo judaicorosh hashana
Texto

notícias relacionadas